terça-feira, 26 de maio de 2009

Gazeta Mercantil poderá não circular mais


Um dívida de mais de 200 milhões de reais pode causar o fechamento do jornal Gazeta Mercantil. O débito foi gerado por dívidas trabalhistas e pagamentos de royalties pelo uso do título. Além do fator financeiro, há outras questões que afundam o jornal como a desistência da Companhia Brasileira de Multimídia (CBM) de editar a publicação, que já existe há 90 anos.

Dessa forma, Luiz Fernando Levy, filho do fundador do jornal, Herbert Levy, teria a responsabilidade de tocar a operação. A CBM encerra assim o contrato de licenciamento para edição e comercialização do título que havia assumido em dezembro de 2003.

Segundo o jornal Estado de São Paulo, a CBM informou ainda que dará apoio financeiro a Levy caso ele queira dar continuidade ao projeto. A CBM não deu detalhes sobre o prazo da ajuda financeira. Para tranquilizar a equipe, de quase 100 pessoas, a direção da CBM disse também que pretende realocá-la em outras empresas do grupo de Tanure.

Será o fim de um dos jornais mais tradicionais da imprensa brasileira? Por que os jornais impressos estão fechando? O advento das novas tecnologias é a resposta? A falta de boa administração de recursos afunda a empresa? Qual a sua opinião? Deixe o seu comentário.

Petrobras procura estudantes de jornalismo para projeto nacional


A PETROBRAS procura por estudantes de jornalismo para atuar em projetos sociais de carater nacional, envolvendo profissionais e voluntários. O objetivo é auxiliar no trabalho de ONGs, apoio a moradores de rua, indigenas, presos, idosos, e pessoas carentes. Estudantes de outras áreas poderão participar: direito, informatica, psicologia, saúde, seguranca do trabalho, teatro e filosofia. Os detalhes estão sendo preparados.


segunda-feira, 25 de maio de 2009

Documentário potiguar ganha espaço na telinha da TV Brasil

video

O Documentário 'Sangue do Barro', idealizado por Fábio de Silva e Mary Land Brito, aborda o interesse da população em matérias policiais, tendo como base da narrativa o caso Genildo França, que fez a população do Rio Grande do Norte parar diante da TV no dia 22 de maio de 1997. Ex-atirador de elite do Exército, Genildo, cometeu 15 assassinatos num período de 24 horas, deixando em pânico Santo Antônio dos Barreiros (hoje Santo Antônio do Potengi), comunidade de apenas cinco mil habitantes, localizada em São Gonçalo do Amarante. O documentário já tem exibição garantida na programação da TV Brasil.

Sangue do Barro venceu a seleção do DOC TV IV 2008

'Quando a realidade parece ficção é hora de fazer documentários', no Rio Grande do Norte, onde participaram 18 projetos. O resultado foi anunciado no Festival de Cinema de Gramado. Um dos roteiristas do documentário, Geraldo Cavalcanti, permaneceu na comunidade 20 dias para escrever o roteiro. “Estar perto da comunidade foi essencial para compreender um pouco sobre Genildo” afirma Geraldo.
Para os diretores e idealizadores do projeto, Fábio de Silva e Mary Land Brito, o documentário vai explicar mais sobre Genildo. “A gente não quer justificar as mortes cometidas por ele, mas as pessoas vão entender um pouco quem era Genildo”, declara Mary Land. “Estando em contato com as pessoas que conviveram com ele, percebo que era um sujeito normal, tinha família, amigos, enfim, era um ser humano como qualquer um de nós”, complementa DeSilva.

Internacional: Equador e Venezuela estudam criação de órgão de repressão à imprensa


Esta é a manchete do Portal Imprensa (http://www.portalimprensa.com.br/) que aborda a a criação de uma entidade de controle e repressão à imprensa nos dois países. Os presidentes do Equador, Rafael Correa, e da Venezuela, Hugo Chávez, visam minimizar abusos de mídias "corruptas".


Isto é uma verdadeira palhaçada! Em pleno século XXI, dois governantes querem calar a voz da imprensa por meio da força e da repressão. Acredito que a democracia ocorre quando há pluralidade de opiniões e discussões dos temas sociais. O que observo desses presidentes é uma tentativa de conseguir poder e somente poder. Os países não se destacam na economia e muito menos no indice de desenvolvimento humano.


Resultado: O POVO CONTINUA SOFRENDO!