sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Feliz Natal e Próspero Ano Novo


Estou desejando boas festas hoje, por que o nosso blogue voltará com mais notícias e novidades somente no dia 02 de janeiro de 2008. Aproveitarei para descansar e rever amigos. Ler um pouco e pensar algumas surpresas para nosso blogue. Hoje, neste espaço, quero agradecer a Deus por mais um ano e desejar aos leitores deste blogue: Um natal de muito amor e um ano novo cheio de paz.


Um abraço e até 2008

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Comentário do dia: Por que ele mora em um buraco?


Marcelo Camargo Machado, de 21 anos, vive em um buraco de seis metros quadrados por um metro de altura, sem ventilação, em Porto Alegre (RS). De acordo com reportagem do jornal "Zero Hora", ele diz que decidiu morar na rua, pois apanhava do pai e foi negligenciado pela mãe, que tinha outros sete filhos. Sobrevive por meio de doações de vizinhos. O desabrigado não busca amparo em abrigos públicos por opção própria. Segundo a assessoria de comunicação da Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), o jovem "se nega a utilizar os espaços públicos do Atendimento Social de Rua" e que não é possível retirar à força pessoas da praça. A atitude de Marcelo é corajosa, perigosa e motivada por problemas afetivos. Como este jovem há muitos pelo país que não moram em buracos, mas a vida está lançada em um deles. Arrastada pelas drogas e a prostituição, a juventude traça um caminho sem volta que pode terminar em uma clínica de recuperação ou dentro de uma cova de cemitério. A juventude perdeu a sua própria personalidade envolvida com os produtos da indústria cultural. Cantam Tropa de Elite do Tihuana e o Rap das armas como brincadeira e nem se tocam que fazem apologia a violência. As moças são as cachoras preparadas e siliconadas. Os homens são os sarados, machões, briguentos e capazes de morrer pelo que acham que defendem. A juventude busca falsas ideologias de vida, por que falta uma para viver. As torcidas organizadas que se confrontam são a prova disso. Mas por que os jovens de hoje não possuem personalidade? Por que assim como aconteceu com Marcelo, o lar está destruído.

Everton Lima é jornalista e palestrante do Encontro de Jovens Católicos

Contra tudo e contra todos


A luta do bispo de Barra (BA), Dom Luiz Flávio Cappio, era desigual. A CNBB e Vaticano está contra ele, e o governo não cede. A pressão é muito alta. Não é quem resista. Mas elogio a atitude do Bispo, foi muito firme nos seus propósitos e enfrentou tudo. Pena, que nosso país nosso povo não tenha consciência de participação política ativa nos acontecimentos do país. Talvez o final fosse diferente. O bispo recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Memorial de Petrolina (PE) nesta quinta-feira (20), para onde havia sido levado na noite anterior, após desmaiar. Cappio está em greve de fome há 24 dias em protesto contra o projeto de transposição do Rio São Francisco. Após o anúncio de que o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou liminar e a representação que determinava a suspensão das obras de transposição, o bispo desmaiou. O juiz Luís Roberto Cappio Guedes Pereira, 39, sobrinho do bispo de Barra (BA), d. Luiz Flávio Cappio, 61, afirmou que vai conversar ainda hoje com o religioso para que ele suspenda imediatamente a greve de fome. Em outubro de 2005, ele permaneceu 11 dias sem se alimentar em protesto contra o projeto.

Porque Gugu cai, Tom cresce e o domingo fica cada vez mais infame na TV







Foi bem num domingo que a minha TV a cabo saiu do ar. Sem mais nem menos, puf! Adeus séries, filmes, documentários, campeonato europeu. Como não havia para quem reclamar, o jeito foi dar um pulo na locadora para pegar uma boa "fita". Chegando lá, só velharia. Os bons filmes disponíveis estavam todos colocados em uma estante separada, reservada a um certo Blue Ray.
A moça do caixa foi logo explicando: "Os DVD´s estão com os dias contados, a onda agora é o Blue Ray. Ele tem qualidade superior ao atual DVD. Mas o aparelho ainda custa uns R$ 3 mil". De quebra, ela ainda contou que o Blue Ray tem esse nome porque o feixe de laser para ler e gravar os dados tem coloração azul (blue). No DVD convencional, o laser é vermelho. "Daqui a alguns meses, não vai mais haver DVD convencional aqui na locadora". Assustador. Até outro dia, eu pagava multa quando esquecia de "rebobinar".
Todo esse preâmbulo é para explicar como nasceu a idéia de acompanhar um domingo inteiro de programação na TV aberta. Nas últimas semanas, as colunas televisivas dos jornais e revistas de fofoca ficaram especialmente empolgadas com o avanço da Record e seu "Show do Tom" sobre a audiência supostamente blindada do "Faustão". Falou-se muito, ainda, sobre a queda vertiginosa da audiência do apresentador Gugu Liberato, do SBT. E sobre a crise do excesso de merchandising no "Pânico na TV".
Pior que um domingo convencional é um domingo de fim de ano. O único jogo de futebol disponível em toda programação do dia foi transmitido pela Band: Corinthians X Amigos do Daniel. Não deu para saber de que Corinthians se tratava, mas pelo tamanho das barrigas não era o time oficial que disputará a Série B. Já o outro time pertencia ao cantor sertanejo Daniel. A locução era profissional, com direito a Luciano do Vale. Mas o jogo, bizarro. Parecia pelada de fim de ano da firma.
Zap, zap. TV Gazeta. Um casal animado, sarado e sorridente entrevista uma modelo com roupas sumárias. O GC (gerador de caracteres, para os não iniciados) ajuda a esclarecer o teor da atração: "Samille e Rogerinho entrevistam Karina com vestido cortado". Esse foi apenas um dos trechos do "Dolly Show". Na seqüência, outra modelo aparece tomando banho e rebolando de biquini, ao som da música "Dolly, tome guaraná Dolly. Tome Guaraná, tome guaraná, Dolly. Aprovado...O sabor brasileiro". O GC, sempre esclarecedor, informa: " Bananinha na ducha".
Zap, zap. Rede Vida. Um religioso com a bíblia na mão explica procedimentos bancários enquanto o GC em letras garrafais avisa "Débito automático". Sem comentários. Zap, zap. RedeTV!. Como ainda é cedo para o "Pânico", o jeito é dar uma conferida no "Late Show", a única atração canina da TV aberta brasileira
Em frente a uma bandeira do arco-íris uma loira falante e teatral faz um discurso sobre a importância dos gays. Ela está em um "Pet Shop" gay, que foi criado para "estimular a diversidade". Lá pelo meio do programa, surge um poodle com sunga de couro e óculos escuros. No comercial, a RedeTV! apresenta o seu clipe de fim de ano, onde todo o casting canta junto o refrão "Esse amor é azul, como o mar azul".
A tarde avança e, finalmente, chega a hora do bom combate. Enquanto Fausto Silva entra no ar na Globo, um sósia com a voz idêntica surge na Record. Trata-se de Fala Silva, apresentador do "Domingão do Falão". O estúdio, as dançarinas, as roupas. Tudo é idêntico ao original. A primeira atração de "Fala Silva" é anunciada: "Com vocês, o maior humorista do Brasil, Tom Cavalcanti...". Depois de meia dúzias de piada infames, é anunciada a segunda atração do dia: "Sandy e Junior". Mas quem aparece é o Tiririca (de Junior) e Tom Cavalcanti (de Sandy).
Zap. Na Globo, um ator famoso vestido de bombeiro acompanha uma operação de verdade da corporação, onde é "registrado um óbito". É visível o constrangimento do ator fantasiado entre os bombeiros de verdade na hora do resgate de um acidente de carro.
Zap. No canal "Shop Tour" um homem de terno fala sobre "os panetones lindos da Ofner". Credo. Zap.
Enfim, Gugu Liberato dá o ar da graça no SBT. Não é difícil entender porque ele vem caindo na audiência. Os primeiros vinte minutos são todos dedicados ao merchandising testemunhal. O pior ainda estava por vir. Vinhetas e comerciais inteiros são exibidos com a presença do apresentador em uma janela no canto da tela, fazendo cara de aprovação. Banco Panamericano, Telesena, Carnê do Baú. Na primeira hora de programa, o SBT mais parecia o "Shop Tour". Quando, enfim, começa de fato o programa, a primeira atração é uma extensa apresentação de nomes de famosos que fazem aniversário naquele dia. Tudo bem simples, no estilo "TV Fama", da RedeTV!.
Zap. Começa o "Pânico". Clipe do Guaraná Dolly (Dolly, tome guaraná Dolly. Tome guaraná, tome guaraná...), Sabrina Sato em poses sensuais em cima de uma moto Suzuki, Surita toma uma Kaiser...Merchan, merchan, merchan e mais merchan. Zap. Volto para a "Shop Tour" em busca de um panetone baratinho. Que saudade da segunda feira...






Pedro Venceslau, 31, é jornalista, editor-executivo da Revista IMPRENSA e apresentador do programa "IMPRENSA na TV", na ALLTV

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Bola Fora: Notícia sem aprofundamento


Já faz algum tempo que neste espaço mostramos casos de falhas da imprensa mossoroense. Quero destacar a cobertura do incidente com o avião do presidente do senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN). No vôo 3371 da TAM, estavam também os deputados federais João Maia (PR) e Felipe Maia (DEM), além do prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PSB) e o deputado estadual Walter (PMDB), filho de Garibaldi. A falha: falta de aprofundamento da notícia abordada pelos jornais, quanto a explicação de termos técnicos da aviação. Trazendo informações desncontradas. O jornal Correio da Tarde (edição de ontem) traz a versão dos especialistas que embasam esta postagem. Transcrevo aqui, o trecho da matéria:


"O vôo 3371 teve de retornar a Natal após ter uma pane elétrica. Após 40 minutos de vôo, o comandante avisou que teria de retornar por motivo de segurança. O problema elétrico foi causado devido a uma pane no sistema que fica na calda do avião. Com isso, o avião perde a iluminação interna e o ar-condicionado, além de ter risco de despressurização.Segundo especialistas em aviação ouvidos pelo CORREIO DA TARDE, não existe a possibilidade de ter havido a perda de ação das turbinas, que teria causado uma grande tragédia. Na verdade, o que houve foi uma ação do piloto de diminuição proposital da altitude para evitar que o risco de despressurização trouxesse maiores problemas para a aeronave. Ao mesmo tempo, houve uma diminuição da potência das turbinas para que estas passassem a funcionar em altitude menor. A pressurização do avião acontece para garantir o ar a ser respirado pelos passageiros e tripulação. Se despressurizada, a aeronave transforma o ar em rarefeito. Quanto mais alto, maior o risco de causar desmaio e até morte."

Jornalistas têm ano mais difícil para profissão desde 1994


Desde 1994, não se via um ano tão difícil para o exercício do jornalismo. Essa é a conclusão de um relatório divulgado na última segunda-feira (17/02), pelo Comitê para a Proteção dos Jornalistas, com sede em Nova York.
Segundo a entidade, pelo menos 64 jornalistas foram mortos em 2007, sendo que o Iraque continua a ser o local mais perigoso do mundo para a imprensa. Ainda há 22 mortes registradas neste ano, ainda sob investigação, que ainda podem ser ligadas ao trabalho jornalístico. Em 2006, foram 56 as mortes.
"Desde o começo da guerra, em março de 2003, 124 jornalistas e 49 outros trabalhadores de meios de comunicação foram mortos, o que faz do Iraque o conflito mais letal para a imprensa na história recente", informou a entidade, sobre as dificuldades de se trabalhar como jornalista no Iraque.
Além do Iraque, Somália, Sri Lanka, Paquistão, Afeganistão, Eritréia, Mianmar, Haiti, Honduras, Quirguístão, Nepal, Palestina, Paraguai, Peru, Rússia, Turquia, Estados Unidos e Zimbábue registraram mortes de jornalistas.
Na Colômbia, pela primeira vez em mais de 15 anos, não houve assassinatos de jornalistas. As Filipinas também ficaram fora dos registros pela primeira vez, desde 1999.


Fonte: Portal Imprensa

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

De olho na política: CPMF obriga medidas de emergência para o governo.


A rejeição do projeto da prorrogação da CPMF até 2011, obrigou o governo a pensar em outras alternativas para cobrir os gastos orçamentários. Há uma possibilidade de definição de cortes para o orçamento de 2008. Entre os cortes, teríamos: despesas do Executivo com passagens e diárias para servidores e ministros; R$ 3,9 bilhões previstos para aumento de salário dos servidores; R$ 1 bilhão para substituição de mão-de-obra terceirizada por meio de concursos públicos e R$ 12 bilhões de emendas coletivas -- apresentadas por bancadas estaduais, que destinam verbas geralmente para grandes obras, de interesse de governadores e prefeitos de capital. A CPMF trouxe grandes problemas para o governo, mas terá que resolve-los, especialmente, os compromissos assumidos com categorias trabalhistas e de estrutura para as cidades. Imagine se o aumento dos servidores públicos for cortado. Teremos novas greves. E os concursos públicos previstos? Sem falar nas obras estruturas requeridas pelos prefeitos e governadores. Em Mossoró, há um previsão de que as obras do Complexo Viário Abolição sejam liberadas para ínicio em 2008. Será que a sucessão de cortes irá implicar nesta obra, já que não foi incluído no PAC? São perguntas que podem ser respondidas com a votação do orçamento em fevereiro. Mas acreditem, teremos uma outra novela? Não será aprovado com facilidade.


Everton Lima de olho na política.

Garibaldi Alves está no alvo da mídia.


Como já era de se esperar, o novo presidente do senado federal, Garibaldi Alves, ganha as páginas dos principais veículos do país. No Rio Grande do Norte, estado do qual representa, as manchetes dos principais jornais destacavam o pouso de emergência que o avião do senador teria feito, devido a problemas mecânicos. Também já começou a circular notícias de casos pendentes com justiça do presidente da casa legislativa. O ministro Gerardo Grossi, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), confirmou a multa aplicada ao atual presidente do Senado Federal, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), por propaganda eleitoral extemporânea. A multa de 20 mil Ufirs (R$ 21.282) foi aplicada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte (TRE-RN) que entendeu ter o então pré-candidato ao governo do Estado promovido sua candidatura por meio da propaganda partidária do diretório estadual do PMDB. No blogue do Portal Globo.com, Garibaldi Alves é citado como ator principal de um seriado "Separados na Maternidade", comparando a semelhança com o agente secreto Austin Powers.

Mercado de TVs por assinatura cresce e conquista novos usuários


O mercado de TV por assinatura atingiu um contingente de cinco milhões de pessoas no terceiro semestre deste ano, segundo levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (TeleBrasil). Na comparação com 2006, o crescimento foi de 15%, o maior em sete anos. Desde de 2000, esse número estava congelado entre três milhões e quatro milhões de assinantes.
Os executivos do setor dizem que, boa parte da nova leva de usuários pertence às classes mais baixas. De janeiro a outubro, o setor registrou uma receita de R$ 4,7 bi, 15,3% maior que o mesmo período do ano passado. Ainda, segundo eles, a partir de agora, a disputa das empresas se dará por meio do sinal digital de alta definição, novos serviços e canais cada vez mais segmentados.
Este crescimento do setor se deve a um conjunto de fatores como a entrada das empresas de telefonia no capital das TVs a cabo, o crescimento da renda e da oferta de pacotes com TV por assinatura, internet banda larga e telefone fixo.
A superintendente da TVA, Leila Loria, declarou que existe mais espaço para consolidação do mercado, e que isso é muito discutido pela empresa. Este ano, a base de clientes da TVA subirá de 370 mil para 400 mil.
Segundo reportagem do O Estado de S.Paulo, o que propiciou a expansão da empresa foi a parceira com a Telefônica, em São Paulo. As duas empresas criaram novos pacotes agregando serviços de telefonia com TV a cabo e internet de banda larga.
A primeira ação que deu início ao processo de consolidação do mercado de TV cabo ocorreu em 2004, quando a Sky anunciou sua fusão com a Directv. O processo só foi aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em novembro de 2005. Em outubro do ano passado, a Net deu o segungo passo de consolidação do mercado ao comprar a segunda maior operadora de TV por assinatura em número de assinantes, a Vivax.
Especialistas dizem que a tendência é de larga espansão no próximos anos se o mercado não sofrer alterações qua mudem o ritmo de crescimento.


Fonte: Portal Imprensa.

Primeira rede nacional de TV pela internet é lançada pela ALL TV


A primeira rede nacional de TV pela internet é uma extensão da ALL TV, um canal de notícias que funciona 24h por dia e que foi inaugurado há seis anos pelo empresário Alberto Luchetti. Para formar a rede, foram vendidas franquias da ALL TV para nove canais de notícias, que atuarão em dezoito Estados do Brasil. Segundo José Roberto Luchetti, diretor-geral da ALL TV, o projeto de uma rede nacional pela internet surgiu logo na fundação do canal. "A idéia, desde o início, foi ter filiadas pelo Brasil, mas precisávamos esperar a banda larga chegar a todas as grandes capitais para que a rede fosse viável". Dessa forma, algumas emissoras locais passaram a procurar a ALL TV, como foi o caso da Rondônia Agora, canal de notícias de Porto Velho que cobre toda a região da Amazônia Legal. Ela se tornou a primeira ALL TV regional a entrar no ar, há aproximadamente dez dias. "A escolha da ALL TV Amazônia como a primeira foi estratégica, pois a Amazônia é um dos assuntos brasileiros que mais interessa o mundo", declara Luchetti. O diretor afirma que o diferencial será a participação das afiliadas na programação nacional. A rede de canais contará com programas de notícias e variedades, sendo a única exigência a de que haja interatividade. De acordo com Luchetti, cada canal poderá decidir quantas horas locais irá produzir e quantas horas da programação nacional irá utilizar. "A programação local poderá conter nacional e vice-versa. Se alguma emissora precisar de 24h nacionais, no início das transmissões, ela poderá contar com isso", finaliza Luchetti.
*Na foto, estúdio All TV

Fonte: Portal Imprensa

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Comentário do dia: Nova Chance


Hoje, estamos estreando o blogue Comunicação e Cidadania no site da colunista Marilene Paiva. Quero agradecer pela oportunidade e desejar sucesso para a profissional. Vamos lá. O mercado de trabalho é muito competitivo e exigente. Por esta razão, na maioria das vezes, as oportunidades são raras e quando aparecem, os candidatos precisam estar preparados. Algumas pessoas tentam por meios ílicitos conseguir a sua vaga. A Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB-SP) está investigando uma informação de que a prova do exame nº 134, que seria aplicada no último domingo (9) e foi cancelada por suspeita de fraude, teria sido vendida para um aluno de Santo André, na Grande São Paulo, por R$ 2.500.
Segundo a assessoria de imprensa da OAB-SP, o aluno teria comprado a prova de um funcionário da Fundação Vunesp, responsável pela impressão e aplicação do exame. Com o cancelamento do exame, esse aluno teria procurado um jornal da região para apresentar a documentação que comprovava que o conteúdo havia vazado. O repórter que publicou a matéria foi chamado para depor na OAB-SP e apresentou partes da prova que o aluno teria comprado. Segundo a OAB, o documento era original.
Na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, em Mossoró(RN), uma estudante não passou no vestibular, fraudou a matrícula do curso de Comunicação Social e foi descoberta esta semana. Segundo matéria publicada no Jornal De Fato, a estudante havia recebido a notícia do Tio que teria passado no exame. Elaine afirmou que os jornais da cidade divulgaram o nome dela. A mãe da estudante conta que a filha tem problemas de saúde. A Instituição apura o caso e deve processar ex-aluna Elaine Cristina (veja no arquivo minha análise da cobertura do caso nos jornais De Fato e Mossoroense).
A vida tá díficil, mas não é necessário pular etapas para conseguir as coisas na vida. É preciso viver uma coisa de cada vez. Não há razão e motivo para partir em busca do ílicito, do considerado mais fácil. Aliás, a humanidade vêm procurando soluções fáceis para resolver seus grandes problemas. No casamento, arranjou outro ou outra, não dá mais certo. Vamos para o divórcio. Tenho problemas afetivos, vou encher a cara pra esquecer. Ofendo pessoas e não busco reconciliação. Quero fazer faculdade e peço para os outros fazerem trabalho para mim. Por que as pessoas insistem em procurar o mais fácil? Estamos perdidos? Afinal, trabalhar e suar para conseguir o que quer não vale a pena? Vale a pena sim. Se não valesse, talvez não tivesse conseguido tudo que tenho na minha vida. Não tenho muito dinheiro. Mas tudo que consegui, foi construído passo a passo. Vivi momentos de alegria e tristeza. Mas em todas as situações, me tornei mais que vencedor. Não tenho medo de falar isso. Defendo que se você, tem uma realização e um sonho deve lutar para conseguir. Se você tem um problema, lute. Se o amor acabou no casamento, dê mais uma chance para os dois. Quem sabe a vida muda? A palavra certa é recomeçar. Vamos lutar e crer que podemos ir mais longe. A dificuldade nunca deve encarada como obstaculo maior que a pessoa, mas deve ajudar a ser a escada para o sucesso. Há sempre uma nova chance.

Polícia Rodoviária inicia Operação Verão nas estradas federais


A Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou à zero hora de hoje (14) a Operação Verão, com o objetivo de intensificar a fiscalização nas rodovias federais, devido ao aumento do tráfego nos períodos de férias, festas de fim de ano e carnaval. As ações vão até a meia-noite do dia 2 de março de 2008.Mais de 9,7 mil policiais vão se revezar na fiscalização dos 61 mil quilômetros de rodovias federais. O coordenador de Controle Operacional da PRF, inspetor Alvarez Simões, revela que a Operação Verão 2007/2008 tem uma novidade no que se refere ao planejamento.
De acordo com ele, o órgão reuniu todos os chefes operacionais do Brasil, na capital federal, para padronizar as ações. “Nós chamamos todas as nossas chefias operacionais para motivar, mobilizar e fazer um bom trabalho nas estradas, porque a possibilidade de um número elevado de acidentes é grande”, acrescentou.Simões lembrou que muitos motoristas apontam o excesso de buracos e a falta de sinalização nas estradas como motivos dos acidentes.
Mas ele destaca que a maior causa é a imprudência dos condutores. “No ano passado, a quantidade de acidentes que aconteceram por causa de buraco foi um pouco mais que 3%. Entretanto, os acidentes por falta de atenção passaram de 70%.”O inspetor orienta os motoristas a dirigir com cautela. Outra recomendação é verificar as condições de seus veículos. “A principal ferramenta de prevenção de acidentes é o motorista.”Segundo Simões, nos 80 dias da Operação Verão do ano passado foram registrados 27 mil acidentes, com 1.440 mortes.

Fonte: Agência Brasil.

DEM aguarda ação judicial antes de medidas em relação à logomarca




Pouco depois da polêmica que envolveu a semelhança das logomarcas da Vale e da fábrica de sapatos Vitelli, localizada no interior de São Paulo, a discussão sobre o possível plágio de logotipos chega à esfera política. Os Democratas, antigo PFL, na busca da renovação de sua imagem, adotou uma árvore com a copa formada por três figuras geométricas como logomarca. Entretanto, o Partido Federalista polemizou a escolha do DEM, pois afirma que adota um logotipo semelhante desde a sua fundação, em 1999.
Thomas Korontai, presidente dos Federalistas, declara estar escandalizado com a cópia da marca. "Foi uma triste coincidência. As árvores não são exatamente iguais, têm cores diferentes, no entanto é uma imitação ideológica". Korontai afirma que a árvore representa o enraizamento das idéias do partido e que a copa remete aos três poderes no Brasil. "É como se tivessem clonado um filho seu. Estamos horrorizados". Korontai diz que a marca é objeto de pedidos de registro no INPI desde 2005, e que medidas legais, como a notificação à Presidência Nacional do DEM, já foram tomadas. "Aguardaremos o pronunciamento do DEM sobre o assunto".
Por outro lado, a assessoria de comunicação dos Democratas declarou que não houve plágio nem inspiração na logomarca do Partido Federalista. "Uma empresa especializada foi contratada para idealizar a marca e nunca tínhamos ouvido falar nos Federalistas. Esperaremos ser acionados pela justiça para tomar qualquer atitude", afirmou o assessor.
Fundado em 1999, o Partido Federalista não é homologado pelo Tribunal Superior Eleitoral e, portanto, não pode participar de eleições. Korontai espera conseguir o registro para o próximo ano.

Fonte: Portal Imprensa

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

De olho na política: A derrota do governo

Diferente do que eu previa ontem, a oposição venceu e o governo perdeu na votação pela prorrogação da CPMF. No pleito, o governo obteve 45 votos e a oposição 34. Para aprovar a prorrogação seriam necessários 49 votos favoráveis. Agora o governo examina as alternativas que deverão ser adotadas após a rejeição pelo Senado. Inicialmente, o governo descarta a idéia de apresentar uma nova proposta. Ainda não foi definida a forma como o governo buscará a compensação pela perda da arrecadação de cerca de R$ 40 bilhões estimados via "imposto do cheque". Mas o que teria atrapalhado as negociações da CPMF endurecendo a oposição a tal ponto? Podemos postar aqui o atraso da base aliada em conversar com o senado sobre a matéria. O discurso contundente do presidente Lula atrapalhou muito na negociação com os senadores, que sentiam ameaçados pelas declarações. Quer dizer, o tom de apelação do presidente para os parlamentares surtiu um efeito negativo. (Momento de reavaliação da estratégia para a Secretaria de Comunicação da Presidência da República) A verdade é que a derrota abalou o governo neste fim de ano. A ministra-chefe da casa civil, Dilma Roussef, e equipe da base aliada se reúne desde cedo para encontrar saídas e soluções. Também não é uma sangria desatada. O Brasil não vai parar o crescimento por causa do fim do imposto do cheque. As obras prometidas pela União terão que se cumpridas. Tem que haver recursos. A questão é que se buscará novos caminhos que podem custar caro. Mas, bobo é quem pensa que o governo vai deixar isso barato.

Everton Lima de olho na política.

China desenvolverá tecnolgia de TV via celular


O governo chinês desenvolverá seu próprio sistema de televisão via celular, o projeto custará 400 milhões de iuanes - cerca de US$ 54 milhões. Fontes do Ministério de Ciência e Tecnologia da China comentaram nesta quinta-feira (13), que o objetivo é não depender do padrão ocidental de transmissão. Em nota oficial, o Ministério declarou que o fundo financiará o desenvolvimento de uma rede industrial de televisão móvel inovadora e própria. A pesquisa de desenvolvimento da tecnologia e os fundos de financiamento serão administrados pelo Departamento Estatal de Rádio, Cinema e Televisão. De acordo com informações da agência de notícias Efe, a imprensa chinesa acredita que a prioridade será a indústria áudio-visual. A China possui o maior mercado de telefonia celular, com aproximadamente 500 milhões de usuários, e cerca de 20% destes são potenciais clientes da nova tecnologia.

Fonte: EFE

Em seu blog, Roberto Jefferson critica entrevista de Rosane Collor à Veja


O ex-deputado federal Roberto Jefferson, mesmo longe do Congresso, continua atento aos movimentos políticos e, é claro, aos veículos de comunicação. Diariamente, após ler os jornais do dia e as revistas, Jefferson desfere suas opiniões através de seu blog na internet.
Um de seus últimos posts comenta a entrevista concedida pela ex-primeira dama Rosane Collor à revista Veja desta semana. "Li a entrevista de Rosane Collor à revista Veja e não gostei. O interesse me parece material, não moral. Está mais para Mônica Veloso do que para Nicéia Pita", disse o ex-deputado.
Para ele, o ato de Rosane se deve ao fato e existir uma disputa judicial entre ela e Fernando Collor de Melo, ex-presidente da República e atual senador por Alagoas. "Cheira a estratégia de advogado, já que a ex-primeira dama busca obter, na Justiça, o patrimônio que o casal amealhou durante o casamento".
Jefferson termina o post, dizendo acreditar que o "o grande erro do ex-presidente Collor" foi ter congelado os ativos financeiros em poder dos banqueiros. "A primeira vingança veio com seu irmão, Pedro; a segunda, com Rosane. Os banqueiros não o perdoam", finalizou.
Para ler o blog de Roberto Jefferson, clique aqui.
Fonte: Portal Imprensa

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

De olho na política: Garibaldi é presidente do senado


O senador Garibaldi Alves (PMDB) é eleito como novo presidente do senado federal com o apoio de 68 senadores. Não havia candidatos concorrentes. Apenas oito parlamentares votaram contra a sua escolha e outros dois senadores se abstiveram. Como a votação é secreta, os votos contrários à escolha de Garibaldi serão mantidos em sigilo. No total, 78 senadores registraram presença nas eleições de Garibaldi --um quórum considerado elevado para a Casa Legislativa. Somente três senadores se ausentaram da votação: Romero Jucá (PMDB-RR), Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) e João Vicente Claudino (PTB-PI). Garibaldi, em seu discurso pós-eleito, prometeu escrever uma nova página na política brasileira e garantir credibilidade a casa do legislativo. O peemedebista ainda se comprometeu com o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), em cumprir as condições impostas pelo partido para o apoio ao seu nome. O senador Garibaldi Filho deve presidir a votação da CPMF e resolver ainda essa semana esta questão que se arrasta a muitos dias. O governo tem interesse em resolver logo a questão, mas teme não ter os votos que precisa para que a CPMF seja prorrogada. Apesar de tanta novela em torno da matéria, é possível que a eleição do senador potiguar ajude na vitória do governo. A oposição não cedeu em nenhum momento e parece que não vai ceder. O governo terá que arriscar e pagar para ver a votação acontecendo antes do recesso. A vitória de Garibaldi foi um ponto para o governo e poderá ser maior a prorrogação da CPMF. Mas é bom lembrar, mesmo que o governo ganhe esta parada, a oposição não vai deixar barato.


Everton Lima de olho na política.

Youtube amplia projeto de remuneração de vídeos para conteúdos amadores


O site de compartilhamento de vídeos Youtube divulgou, na última segunda-feira (10) que vai ampliar seu projeto de remuneração de vídeos para um número restrito de usuários amadores. Com a expansão, quem tiver um conteúdo criativo poderá obter recompensa pelo trabalho e receber os mesmos benefícios oferecidos a parceiros de conteúdos profissionais.
O sistema de remuneração, hoje baseado nos anúncios disponibilizados no site e que aparecem próximos aos conteúdos, só estará disponível para os usuários dos Estados Unidos e Canadá. No blog do Youtube, representantes da companhia dizem que a iniciativa deve se expandir para mercados internacionais "em breve".
Há alguns meses, cerca de 100 internautas já testaram o serviço, a convite do site. "Esses parceiros que produzem regularmente conteúdo com mais de 1 milhão de cliques estão ganhando milhares de dólares por mês", diz um comunicado da empresa, sem especificar valors.
Até então, apenas os provedores de conteúdo profissional poderiam ser beneficiados com os anúncios exibidos próximos a seus vídeos. De acordo com o YouTube, essa parceria com os amadores vai inspirar os usuários a desenvolver conteúdo mais inovador e original, além de encorajar as empresas a criar anúncios interativos "relevantes e com apelo" para a comunidade do site. Os usuários interessados podem se inscrever em www.youtube.com/partners.

Fonte: Portal G1.

Rádios comunitárias reclamam de lentidão no processo para obtenção de licenças


Representantes de rádios comunitárias reclamam que o aumento de publicações de avisos de habilitação de rádios comunitárias não representa maior número de emissoras no país. Segundo eles, a tramitação dos processos é lenta e nem todas as associações conseguem cumprir as exigências para obtenção da licença.
"Pelo relatório de um grupo de trabalho interministerial, nomeado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a demora gira em torno de quatro anos e meio, em média", ressalta o coordenador jurídico da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraço), Joaquim Carlos Carvalho. De acordo com ele, há processo de 1998 ainda em andamento no Ministério das Comunicações.
Na última semana, o ministério publicou um novo aviso de habilitação de rádios comunitárias para atender 950 cidades brasileiras, chegando, com isso, a 99,86% do total de municípios do país. Segundo o ministério, apenas oito localidades ainda não foram contempladas com avisos: Arujá (SP), Itapevi (SP), Osasco (SP), Santo André (SP), São Caetano do Sul (SP), São Lourenço da Serra (SP), Taboão da Serra (SP) e Mesquita (RJ). No entanto, metade dos municípios brasileiros ainda não tem rádios comunitárias outorgadas, segundo Carvalho.
"Agora eles vão criar um grande problema, porque são milhares de associações que vão se habilitar só que não foi dada a infra-estrutura para os servidores que estão atuando no ministério", afirma o coordenador jurídico da Abraço.
"Eles não estão conseguindo atender os processos dos avisos anteriores. E agora eles liberam mais mil localidades. Eles vão atender uma reivindicação do movimento social, mas vão criar o caos porque os servidores não vão conseguir atender a demanda", completa.
Para solucionar o problema, Carvalho aponta a necessidade de contratar mais servidores e reduzir a burocracia para a concessão das licenças. "Os documentos são muito detalhistas. Não é qualquer associação que tem direito a exercer a rádio comunitária. Por exemplo, se não tiver expresso no estatuto a prestação do serviço de radiodifusão comunitária, essa entidade não é reconhecida. Então, obriga instituições que estão há anos desenvolvendo um trabalho social a ter que alterar o seu estatuto para poder prestar o serviço. E isso faz atrasar o processo", diz o coordenador.
Na avaliação do presidente do Fórum Democracia da Comunicação, José Carlos Rocha, o ministério tem se empenhado para acelerar a tramitação dos processos. "O ministério atual duplicou o número de funcionários. Tem feito um grande esforço para liberar mais rapidamente", afirma.
Ele acredita que a falta de preparo das associações em atender as exigências do governo é um dos motivos que têm atrasado a liberação das licenças. "É uma série de problemas que reflete o desábito de concorrer a uma licitação dessa natureza e de tratar da tramitação de documentos de uma estrutura burocrática do governo", diz Rocha.
Segundo informações da assessoria do Ministério das Comunicações, nos próximos avisos de habilitação serão atendidos os oito municípios que ainda não foram contemplados, as cidades que já foram objeto de aviso, mas que não atenderam à convocação e aquelas que ainda comportam mais autorizações.
Fonte: Agência Brasil.


Venezuela nega necessidade de visto para jornalistas brasileiros


Na noite da última terça-feira (11), o senador federal Heráclito Forte (DEM-SP), defendeu, em debate transmitido pela TV Senado, que a Comissão de Assuntos Exteriores do Senado aja a favor dos jornalistas brasileiros que, para entrar na Venezuela, seriam obrigados a apresentar visto de entrada.
O senador Cristovan Buarque (PDT-DF) inflamou as discussões ao declarar que defende a entrada da Venezuela no Mercosul, mas se a exigência do visto persistir, ele mudará de idéia.
Ao Portal IMPRENSA, o chefe de Política e Comunicação do Embaixada venezuelana, Nelson Gonçalez Leal, desmentiu a informação de que jornalistas brasileiros precisam de visto ou qualquer outro tipo de identificação para ingressar no país. "Nenhum cidadão brasileiro precisa de visto para entrar na Venezuela", afirmou Gonçalez.
Segundo ele, em razão de um evento ocorrido na Ilha de Margarida, foi pedido que os jornalistas apresentassem um visto concedido gratuitamente pelo próprio governo venezuelano para melhor identificação dos participantes do encontro. "Esse visto foi pedido na intenção de facilitar a relação com os jornalistas". Segundo ele, o único visto concedido não é obrigatório; é dado na intenção de tranqüilizar e identificar os que visitam o país.
Gonçalez comentou, ainda, que teve dificuldades em explicar o ocorrido. "Quase ninguém quis me ouvir". No momento em que era entrevistado pelo Portal IMPRENSA, Gonçalez redigia a declaração que será colocada no site da embaixada explicando os incidentes.
A respeito dos comentários do senador Cristovan Buarque, Gonçalez declarou que ele recebeu informações equivocadas. "O senador tem a mesma confusão que têm algumas pessoas que leram as notas da mídia. Ao ler a nossa explicação, ele entenderá o que aconteceu".

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Comentário do dia: Eu faria diferente.


Uma notícia pode ser abordada de várias formas e tonalidade diferentes de texto, mas não pode omitir fontes. Os jornais de Mossoró-RN divulgaram, hoje, uma notícia sobre uma estudante que não passou no vestibular e fraudou a matrícula na Universidade do Estado do Rio Grande do Norte.

As manchetes foram as seguintes:


Universidade processa ‘falsa estudante’ - Jornal De Fato


Falsa estudante tenta assistir aula em Comunicação sem passar no vestibular - Jornal O Mossoroense


Quero comentar o conteúdo das matérias do qual vou dispor neste espaço. As duas matérias apontam as seguintes fontes: o reitor da UERN, Milton Marques, o diretor da faculdade, Emanoel Braz, e o chefe de departamento do curso de comunicação social, Jefferson Garrido. Sinto falta da fala ou versão da "falsa estudante", denominada Elaine Cristina, quanto ao caso, por mais que em uma das matérias tenha sido destacado que a mesma confessou. Qual a história dela? De onde veio? Por que fez isso? Imaginem se Elaine fez isso, por que não tinha coragem de contar a verdade para os pais de que não havia passado no vestibular. Que gancho! A pressão dos pais sobre os alunos em tempo de vestibular forçando a passar no exame. A cidade se prepara para outro exame da UERN, seria ótimo abordar o assunto nessa direção. Bem isto foi uma suposição, mas o motivo pelo qual Elaine cometeu a fraude é uma informação importante que não podia ser omitida. Leiam as matérias e dêem sua opinião.


Jornal O Mossoroense


Falsa estudante tenta assistir aula em Comunicação sem passar no vestibular

No final da semana passada, a direção da Faculdade de Filosofia e Ciência Sociais (FAFIC), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), desmascarou uma provável estudante do curso de Comunicação Social que, segundo suspeitas, estaria assistindo aula normalmente sem ter passado no vestibular.
A diretoria descobriu que ela havia fraudado a matrícula na última quinta-feira, através de uma denúncia. No dia seguinte, o diretor Emanuel Braz pediu para que ela deixasse de freqüentar as aulas, pois caso contrário entraria com processo contra ela.
As secretárias da Fafic procuraram o registro da matrícula e não constava nem no sistema de matrículas nem no Departamento de Admissão e Registro Escolar (DARE). Acredita-se que a "estudante" tenha feito uma cópia da matrícula de uma outra pessoa, preenchido com seus dados e deu um jeito de colocá-la entre o restante das matrículas.
Ontem à tarde, Emanuel Braz esteve no setor jurídico da Universidade para resolver o caso. Na ocasião, o diretor da Fafic preferiu não dar declarações sobre o ocorrido. "O caso é suspeito e não sabemos realmente ainda o que houve. Não quero falar para não envolver pessoas ou prejudicar quem não tem nada a ver", disse.
Caso a Uern prossiga com o processo, a impostora deverá responder por crime de estelionato.
Saiba mais sobre estelionato
O estelionato corresponde ao artigo 171, que diz: Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento. Pena: reclusão, de um a cinco anos, e multa.


Jornal De Fato


Universidade processa ‘falsa estudante'


A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) vai registrar um Boletim de Ocorrência (B.O) e ingressar com uma ação judicial para punir uma pessoa conhecida por Elaine Cristina por falsificação de documento. Desde o último dia 6 de novembro, ela se passava por aluna do curso de Comunicação Social da instituição. Informações repassadas pelo reitor da Uern, Milton Marques de Medeiros, dão conta de que Elaine copiou o atestado de matrícula, em branco, de uma colega, e passou a freqüentar as aulas normalmente. Elaine Cristina já foi afastada."A universidade já está tomando as providências cabíveis. Mesmo não tendo sido uma fraude durante o processo seletivo, a direção da faculdade deveria ter percebido a presença dessa aluna", avalia o reitor Marques.A tentativa de fraude só foi descoberta, na semana passada, após a desconfiança de alguns professores, já que o nome de Elaine Cristina não constava em nenhum dos diários de aula. Elaine não ingressou com nenhuma documentação junto à Fafic. Ao analisar o atestado de matrícula apresentado por Elaine Cristina, a diretoria da Faculdade percebeu que o documento tinha data e hora iguais à de outra aluna do curso. Colocada frente a frente com a colega de quem copiou o documento, Elaine confessou a adulteração, detalha Milton Marques.Na tarde de ontem, o diretor da Faculdade de Filosofia e Ciências Sociais (FAFIC), a qual está ligado o curso de Comunicação Social, Emanuel Pereira, solicitou da Comissão Permanente do Vestibular (COMPERVE) a declaração de que a "falsa estudante" não havia sido aprovada no último vestibular realizado pela Uern. Ele não quis se pronunciar a respeito do assunto. Disse apenas que o caso está sendo apurado, e até o final desta semana terá um posicionamento. "Estamos entrando com o processo a pedido do reitor. Quando tivermos maiores informações, repassaremos à imprensa", declarou Emanuel Pereira.O chefe do Departamento de Comunicação Social da Uern, professor Jefferson Garrido, afirma que não há como o departamento saber da existência de possíveis fraudadores. Ele alega que a falta de um sistema informatizado prejudica esse tipo de acesso. "Isso acaba facilitando ocorrências dessa espécie. As pessoas ainda se prendem demais ao papel. Fica mais fácil tentar fraudar", justifica o professor Garrido.Questionados sobre a justificativa dada por Elaine Cristina sobre o motivo da tentativa de fraude, os representantes da Uern não souberam explicar. Não há registro de ocorrência de casos similares na Uern.

Falta qualificação para profissionais e sobra emprego.


Uma barata caminhava sobre a pasta de currículo de Francisco Silvério* que está desempregado a seis meses. Sua profissão é representante comercial. Possui apenas o ensino médio completo e alguns cursos profissionalizantes de uma semana. A experiência profissional é vasta e já trabalhou em vários lugares. Mas não consegue mais um emprego, pela falta de qualificação. Já ofereceram dois empregos para ele, porém não conseguiu. Não dominava informática, nem o curso profissionalizante de rotinas administrativas e muito menos o inglês básico. Francisco tem 49 anos e uma família para sustentar, mas falta qualificação. A história dele é semelhante a de muitos brasileiros que não conseguem emprego por falta de experiência e formação adequada. De acordo com o estudo, 9,13 milhões de pessoas estão à procura de um emprego, mas somente 1,67 milhão de trabalhadores têm experiência ou qualificação necessária. Apenas 18% dos desempregados brasileiros têm os requisitos necessários para serem absorvidos pelo mercado de mão-de-obra especializada, o que impede 7,4 milhões de brasileiros de conseguir emprego. O dado foi divulgado na pesquisa Demanda e Perfil dos Trabalhadores Formais no Brasil em 2007, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A pesquisa do Ipea também mostrou uma mudança geográfica no surgimento de postos de trabalho. No Norte, Centro-Oeste e Sul, a quantidade de vagas supera o total de trabalhadores qualificados. No Sudeste e Nordeste, porém, sobram trabalhadores e faltam vagas. A maior demanda, segundo o Ipea, é por profissionais do sexo masculino, entre 31 e 37 anos e com pelo menos oito anos de estudo. O Brasil está no caminho certo, mas falta investir mais na educação.

*Nome fícticio, personagem da matéria preferiu não se identificar.

Por Everton Lima

Emissora pública italiana lança campanha para libertação de refém das Farc


O terceiro canal da televisão pública italiana, A RAI 3, lançou, na última segunda-feira (10), campanha pela libertação da refém franco-colombiana Ingrid Betancourt, seqüestrada pela guerrilha colombiana das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) desde 2002.
A campanha foi lançada na intenção de não permitir que o caso seja esquecido pelas autoridades competentes. Antonio Di Bella, diretor do jornal TG3, salientou que caso isso aconteça, Ingrid seria condenada à morte.
Segundo a agência de notícias AFP, o jornal exibirá todos os dias matérias sobre o caso. "Será nossa contribuição à batalha internacional para libertar Ingrid", comentou Antonio Di Bella.
A iniciativa foi lançada em ocasião do "Dia dos Direitos Humanos", comemorado na última segunda-feira.

*fotos meramente ilustrativas

Fonte: Portal Imprensa

Concentração na mídia preocupa 80% dos brasileiros, diz pesquisa


Uma recente pesquisa de opinião sobre liberdade de imprensa feita em 14 países revelou que os brasileiros são os mais preocupados com a concentração dos meios de comunicação nas mãos de um "pequeno número de grandes empresas do setor privado".
A pesquisa, encomendada pelo Serviço Mundial e feita pelas empresas de pesquisa GlobeScan e Synoyate, avaliou a opinião de 11.344 pessoas por meio de um questionário. Segundo o levantamento, 80% dos brasileiros se mostram preocupados com a propriedade das companhias de mídia e acreditam que esse controle pode levar à "exposição das visões políticas" de seus donos no noticiário. Tal porcentagem esteve próxima a de países como México (76%), Estados Unidos (74%) e Grã-Bretanha (71%).
A sondagem mostrou, ainda, que ao mesmo tempo em que são os mais preocupados com o controle e a concentração privada na mídia, os brasileiros também fazem a pior avaliação sobre o desempenho dos meios de comunicação financiados pelo governo.
Nessa parte do questionário foi considerada a opinião das pessoas em relação à "honestidade" e à "precisão" com que os órgãos de comunicação, públicos e privados, tratam a notícia. De acordo com o estudo, 43% dos entrevistados acreditam que a cobertura do noticiário pelos órgãos públicos brasileiros é "pobre", 32%, mediana, e 25% dizem que ela é "boa".
Em contrapartida, os brasileiros tiveram uma opinião mais positiva quando foram indagados sobre o desempenho das empresas privadas: 37% acreditam que elas fazem um "bom" trabalho, 38% afirmam que ela é mediana e 25% dizem que sua atuação é "pobre".
Os brasileiros também se mostraram os mais interessados em participar do processo de decisão sobre o que é noticiado: 74% dos entrevistados disseram que gostariam de "ser ouvidos" na escolha das notícias. Nesta questão, os russos, com 29%, foram os entrevistados que se mostraram menos interessados em influenciar na escolha do que é noticiado.
A pesquisa ainda avaliou que os brasileiros parecem "divididos" sobre a questão da liberdade de imprensa e estabilidade social. Enquanto 52% opinaram que a liberdade para informar os fatos de forma honesta e verdadeira é importante para garantir uma "sociedade justa" - mesmo que isto implique em "debates desagradáveis ou efervescências sociais" -, outros 48% acreditam que "a harmonia e a paz social são mais importantes" e, portanto, o eventual controle do que é noticiado seria aceitável para o "bem comum".
Entre todos os pesquisados, os americanos (70%), britânicos (67%) e alemães (67%) foram os que mais opinaram a favor da liberdade de imprensa como instrumento para garantir uma sociedade justa.
A pesquisa ouviu os entrevistados entre os dias 1º de outubro e 21 de novembro. A Oceania foi o único continente não incluído no levantamento. Na América Latina, o estudo foi realizado no Brasil, México e Venezuela. O trabalho foi divulgado como parte das comemorações do 75º aniversário do Serviço Mundial da BBC.

Fonte: BBC

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Comentário do dia: Precisamos de educação de qualidade para o campo.


A educação é a base para o desenvolvimento de uma nação. Ela cria oportunidades e torna a convivência social mais sadia. Promove a libertação de muitos jovens da marginalização, das drogas e da prostituição. Abre portas para o crescimento de um bairro, uma cidade, um estado e um país. Há poucos meses estava escrevendo para Revista Negócio Rural, distribuída na EXPOFRUIT-RN (Feira da Fruticultura Irrigada de Mossoró-RN) deste ano, e visitei um assentamento denominado São Romão. Quase 60% da população do local é composta de jovens entre 18 e 25 anos, dos quais apenas metade vai a escola ou já foi a escola. Nas proximidades do assentamento, há uma escola para ensino fundamental até o nono ano, se o estudante quiser prosseguir no estudos terá que deslocar até Mossoró em carros de linha ou ônibus oferecido pela prefeitura. Se não continuar os estudos, seu emprego será lavoura e o corte de lenha que dará pouca expectativa de vida. A permanência do jovem no meio rural depende da criação de oportunidades de saúde, educação, lazer e emprego. Apesar da modernização do campo, as pessoas carecem de infra-estrutura necessária para facilitar a vida no local. Imaginemos que se em uma comunidade rural, tivessemos uma escola para o Ensino Médio e pessoas capacitadas para atuar. Dificilmente, o jovem teria que sair de sua casa para estudar em outra cidade. A oferta de capacitação profissionalizante e superior pelo Ministério da Educação (MEC) à população abre caminhos para novas realidades no meio rural. O governo federal está investindo na expansão do ensino tecnológico (Novos CEFETs) e no Programa Nacional de Educação e Reforma Agrária (PRONERA) para ampliar a possibilidade do jovem ter acesso a educação de qualidade e inserir no mercado de trabalho. As iniciativas são boas, mas o povo brasileiro merece um trabalho mais concentrado a fim de obtermos resultados expressivos na luta contra a miséria, a fome e o analfabetismo. Cientes de que a educação é a chave do crescimento.

Everton Lima é jornalista e foi repórter da Revista Negócio Rural.

Você sabe o que é CPMF? E como este tributo influi na vida econômica do país?


O dilema vem se arrastando a cerca de meses no Palácio do Planalto em torno da votação pela prorrogação da CPMF. O governo quer prorrogar a CPMF e a oposição quer extinguir o tributo. O presidente Lula já provocou a oposição e vice e versa, e nada foi resolvido. Aguarda-se um desfecho para esta semana, pois o recesso dos parlamentares está próximo. Mas uma pergunta, você sabe o que é CPMF?
A incidência de uma alíquota sobre movimentações financeiras foi aprovada em 1993 e passou a vigorar no ano seguinte com o nome de IPMF (Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira) --era de 0,25%. Ela durou até dezembro de 1994. Dois anos depois, o governo voltou a discutir o assunto, com a intenção de direcionar a arrecadação desse tributo para a área da saúde. Foi aí que foi criada a CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), que passou a vigorar em 1997 com alíquota de 0,2% e desde então vem sendo prorrogada. A CPMF foi prorrogada em 2003 e, se não for novamente prorrogada, irá vigorar até dezembro do próximo ano. No ano passado, a arrecadação foi de R$ 29,904 bilhões. A previsão de arrecadação para este ano é de R$ 32 bilhões. A alíquota é de 0,38%. No final de 2000, o governo decidiu permitir o cruzamento de informações bancárias com as declarações de Imposto de Renda dos contribuintes. Caso um contribuinte tenha declarado ser isento do IR e, ao mesmo tempo, movimentado milhões em sua conta bancária --o que é possível saber de acordo com o valor de CPMF paga--, sua declaração tem maior risco de ser colocada na malha fina pela Receita.


"Repórteres espontâneos" receberão celulares da TV Brasil


A TV Brasil, que entrou no ar no último domingo dia 2 de dezembro, distribuirá cerca de 15 mil celulares com recursos de gravação de áudio e vídeo para criar uma rede de repórteres espontâneos.
A iniciativa visa dar outra dimensão à informação. Orlando Senna, diretor-geral da nova emissora, declarou que esta iniciativa reproduz experiências de outras emissoras, em geral, públicas, principalmente na Itália e América Latina.
Senna ressalta que já são usadas esporadicamente, imagens captadas por celulares em TVs comercias. Segundo informações do O Estado de S.Paulo do último domingo (09), a iniciativa dará visibilidade a jornalistas não-profissionais.
A TV Brasil é fonte de discórdia no governo e gera discussões em toda a sociedade brasileira. Em sabatina realizada pela Folha na última quinta-feira (06), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso declarou que há grande possibilidade de ingerência, pois, segundo ele, o governo tem significativas dificuldades de infiltrar-se na direção de empresas em geral.
FHC salientou que a TV pública poderá ser um desperdício de dinheiro caso seja usada como porta-voz do governo, já que o mesmo tem autonomia de convocar a imprensa para fazer comunicados.
O diretor-geral declarou que ouvirá o público para efetuar mudanças na programação 2008. Além de apresentar novos produtos, Senna tem intenção de criar um programa infantil baseado em depoimentos de crianças. "Quero trabalhar baseado muito em um grupo infantil de trabalho".
Senna afirmou que o mais difícil é trabalhar a concepção do telespectador que recebe o conteúdo embalado. A intenção do diretor-geral é criar um público que participe do processo de criação dos conteúdos, o que justificaria a doação de quase 15 mil celulares para "repórteres espontâneos". "Queremos o espectador-cidadão".


Fonte: Portal Imprensa

Estudo aponta possível manipulação dos Diários Oficiais


A pesquisa apontou que em diversos estados o veículo é usado para propaganda pessoal, o que é proibido pela Constituição Federal, todavia, a infração não é combatida pelo Ministério Público. Segundo Cláudio Weber Abramo, diretor da ONG Transparência Brasil, responsável pelo estudo "Gutenberg em Bites - Breve panorama dos Diários Oficiais brasileiros", a maioria dos Diários ainda funciona com a mentalidade instaurada por Gutenberg (inventor da prensa) de 500 anos atrás, e o desenvolvimento dos meios eletrônicos trouxe apenas uma "modernidade cosmética". Cláudio Abramo salientou que, na maioria dos estados, a única diferença entre o jornal impresso e o da rede é o suporte: em vez do tradicional papel; a tela do computador.
De acordo com a Folha de S.Paulo, em alguns estados as "Imprensas Oficiais" condicionam o acesso ao pagamento de assinaturas, a título de ressarcimento dos custos. "Não sendo importante para custear a produção dos Diários Oficiais, na prática a cobrança representa um obstáculo ao acesso", argumentou Abramo.
Em alguns estados não há versão online do Diário, e quando o acesso é gratuito, costuma ser limitado a poucas edições. Nos raríssimos casos em que se pode consultar as edições anteriores, o cidadão tem de pagar. Essas limitações dificultam pesquisas sobre licitações e cargos comissionados.
Abramo declarou que apenas o desinteresse por parte dos agentes públicos explicaria a falta de iniciativa em informar a população a respeito de seus atos. Diários como de São Paulo e Rio de Janeiro, simplesmente não possibilitam buscas livres em suas edições.


Fonte: Portal Imprensa

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Paz para todos nós! Shalom!!!


Hoje quero me unir a três amigas em Mossoró-RN que realizam uma caminhada pelas ruas da cidade pedindo paz. Aline Linhares, Mayara Amorim e Izaíra Thalita, estou vestindo branco, hoje aqui em Fortaleza, e estou com o pensamento ligado aos seus neste protesto. Quero aproveitar e me solidarizar ao comunicador Nilton Giacomelli pelo momento díficil que vive em sua vida, em virtude da partida de sua noiva.
Protesto contra a violência urbana, doméstica, rural e seja qual for ela. Também contra a desigualdade social, o analfabetismo, o desemprego, a fome, a miséria e as guerras. Queremos paz! Jesus Cristo disse: Amai-vos uns aos outros, como eu vos amei. Sigamos esta meta, vamos nos amar e perdoar uns aos outros.
Que Deus conceda paz e alegria para todos nós.

Shalom!

Até que ponto somos humanizados?


Ao andar pela Av. 13 de maio*, deparei-me com uma cena que, de certa forma, mexeu com o meu interior. Um cachorro – de raça ignorada- acolhido a um canto da parede. Não, ele não estava atropelado, nem tampouco doente, ele estava abandonado.
Você já foi abandonado alguma vez? Quando digo abandonado é abandonado mesmo, deixado de lado por alguém que você amava e confiava.
Pois bem, digo-lhes mais: um flanelinha, mal-intencionado, passa e joga água no pobre animal.
Imagine-se no lugar do solitário bichinho abandonado. Agora, pense em como seria sua vida se todos aqueles em que você sempre confiou te dessem as costas? Não é apavorante? Para acentuar um pouco mais essa terrível sensação, tente imaginar-se triste e perdido, e, de repente, uma pessoa te jogar água na cara, só para te fazer uma brincadeirinha de mau gosto.
Questiono-me, perante tudo isso, até que ponto o homem é humanizado?
Só porque o cachorro é um animal não quer dizer que ele não tenha sentimentos. Ora, um chimpanzé pode ser o animal mais parecido com o homem no que diz respeito ao seu Q.I, mas quanto ao Q.E, com certeza é o cachorro. Não é à toda que esse fraterno bicho é considerado nosso melhor amigo!
Certa vez, ao ler o Dicionário Filosófico de Voltaire, vi que até o filósofo iluminista dedicou um capítulo ao seguinte questionamento: será que os cães têm alma?
Bem sabemos que essa é uma pergunta retórica!
Acompanhemos o raciocínio de Voltaire: lembremos que alma vem de anima, ou seja, tudo aquilo de anima e dá vida. Se o cachorro excede o homem em amizade e fidelidade, por que não atribuir-lhe uma alma?
Sinto-me pequena, impotente e tão solitária quanto o amigo que vi abandonado, perante essas desumanizarão. Espero que, quem se disponibilizar a ler esse texto, fique um pouco mais sensibilizado e pense duas, três ou nem sequer pense em abandonar um amigo de quatro patas. Você tem sues estudos, seu trabalho, sua vida social e ele só tem você.
Para encerrar meu pequeno desabafo, faço minhas as palavras do poeta: “Entre os amigos encontrei grandes cachorros e entre os cachorros encontrei grandes amigos.”

*Avenida de Fortaleza-CE

Érika Machado é acadêmica de Letras da UECE




Reportagem especial do Bom Dia Brasil mostra realidade do sul do Pará

Esta semana pude acompanhar esta série de reportagem de Marcelo Canellas no telejornal Bom dia Brasil e me comovi com a realidade dos brasileiros no sul do Pará. A última matéria exibida foi hoje e mostrou brasileiros que defendiam a paralisação do desmatamento e agressão ao meio-ambiente do local. A missionária Dorothy Stang e o Ademir Federicci, o Dema, são exemplos dessas pessoas que lutavam por esta causa e pagaram com o próprio sangue. Marcello Canellas mostra na reportagem que outras pessoas continuam a batalha, mas sabem que estão marcadas para morrer. No chat do Bom Dia Brasil, Marcelo revela que 118 estariam marcadas para morrer no Sul do Pará.
"De um lado, estão as pessoas que defendem a floresta, uma convivência harmônica; e de outro lado, tem aqueles que querem ganhar dinheiro fácil, botar a floresta no chão e ganhar dinheiro com isso, às custas da destruição da Floresta Amazônica. A irmã Dorothy Stang morreu porque ela defendia a floresta contra os interesses dos grandes madeireiros", explica o repórter
Marcos conta que o projeto de fazer a reportagem é antigo e que trabalhou durante 20 dias na gravação do material. A equipe era pequena, composta de apenas três pessoas: ele, Luis Quilião e Wellington Dourado.
"Usamos avião, barco e carro. O nosso planejamento era fazer tudo de maneira rápida e objetiva. É uma região tensa, com conflitos muito sérios. Na verdade, a gente acaba conquistando a confiança das pessoas ao explicar do que se tratava a reportagem. Toda reportagem foi feita com a câmera no ombro, à vista de todos. Nossa estratégia foi deixar claro o que estávamos fazendo lá", explica

Internet de alta velocidade é mais cara no Brasil


Conforme levantamento feito pela Telcom (Associação Brasileira de Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas), o internauta brasileiro paga muito mais caro pelo acesso de alta velocidade do que os usuários do exterior. Em alguns casos, a assinatura mensal do serviço de 1 Mbps no país custa quase 400 vezes mais que o preço cobrado no exterior
Segundo a associação, na Itália, a Tiscali cobra equivalente a R$ 4,32 ao mês pelo serviço de 1 Mbps. Na França, a Orange cobra R$ 5,02. Nos EUA, a Time Warner cobra R$ 12,75. Os consumidores japoneses podem adquirir a banda larga de 1 Mbps do Yahoo por R$ 1,81. A Telcom levantou os preços de quatro empresas que atendem ao mercado brasileiro: Telefônica Brasil, Telcom, Oi e Net.
De acordo com informações desta sexta-feira (07) do jornal Folha de S.Paulo, o presidente da Telcom, Luís Cuza, o governo deve implementar ferramentas de competição e atuar de forma firme nas questões de fusões e aquisições do mercado. "A concorrência propicia melhores preços e serviços", declarou Cuza em comunicado enviado por sua assessoria de imprensa.
Fonte: Portal Imprensa

quinta-feira, 6 de dezembro de 2007

Comentário do dia: Apesar de tudo, o casamento sobrevive nos tempos de hoje.


Nestes tempos modernos, comenta-se que casar e assumir um compromisso sério de amor com outra pessoa parece ser algo esquecido ou até desnecessário para que um casal possa viver uma relação de amor. Será mesmo? As Estatísticas do Registro Civil, divulgadas nesta quinta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e feitas com dados de cartórios colhidos em 2006, apontam que ano passado foram realizados 889.828 casamentos no Brasil, 6,5% a mais do que em 2005 (835.846). O aumento no número de casamentos pode ser explicado, em sua maioria, pela legalização de uniões consensuais. O IBGE também calculou a idade média dos homens e das mulheres à época do casamento. Em 2006, a idade para os homens no primeiro casamento foi de 28,3 anos e, para as mulheres, 25,4 anos. Quando o cálculo considerou todos os casamentos, a média de idade dos homens elevou-se para 30,6 anos e a das mulheres, para 27,2 anos. Os brasileiros estão casando mais tarde e assumindo a responsabilidade de cuidar de uma família em uma fase mais madura. Apesar da banalização do sexo do prazer pelo prazer na mídia e das relações amorosas fulgazes (ficar), o casamento demonstra um crescimento e sinais de credibilidade no tempo atual. Viver o amor em sua plenitude ao lado de outra pessoa não significa nada de caretice ou esquisito. Mas quer dizer que você escolheu ter vida em abundância e não ser um pedaço de carne com ossos sem conteúdo. É preciso fazer a valer a pena tudo que vivemos, para que quando ao olharmos para atrás, vejamos que fomos importantes e especiais para alguém. Construimos a nossa felicidade.


Everton Lima é católico, ministro de músico e palestrante do Encontro de Jovens Católicos (EJOC).

Senado mexicano aprova lei de sanções para a imprensa


Na última quarta-feira (05), o senado mexicano aprovou reforma do código federal eleitoral, que estabelece sanções para redes televisivas e emissoras de rádio caso não cumpram a lei. O Instituto Federal Eleitoral (IFE) dividirá entre os partidos políticos o tempo destinado à propaganda. Caso algum órgão midiático ignore a lei vendendo algum outro horário fora o estipulado ou se oponha-se a ceder espaço, será penalizado com multas e poderá ter seus anúncios publicitários suspensos por período indeterminado.
Segundo informou a agência de notícias EFE, durante as horas que antecederam a votação no Senado, o Conselho Coordenador Empresarial do México (CCE), representante de cerca de 3 milhões de empresários, apresentou recurso contra a reforma alegando que alguns artigos da reforma ferem a liberdade constitucional.
Armando Paredes, presidente da CCE, disse que a reforma "atenta contra as garantias de liberdade de expressão e associação, além de inibir a participação social nas eleições. A lei foi aprovada mediante à votação que contabilizou 90 votos a favor, 16 contra e uma abstenção. Agora a reforma será enviada à Câmara de Deputados para aprovação.


Fonte: Portal Imprensa

Internet receberá mais publicidade que o rádio em 2008, diz consultoria


Um prognóstico feito pela empresa de consultoria inglesa ZenithOptimedia indica que a internet ultrapassará o rádio em 2008 na divisão do "bolo" da verba publicitária global. De acordo com a consultoria, a participação da internet no mercado de publicidade deve crescer de 8,1% neste ano para 9,4% no ano que vem, enquanto o rádio deve cair de 8,2% em 2007 para 7,9% no mesmo período. Para 2010, a empresa espera que a rede receba mais investimento que o mercado de revistas.
No Brasil, entretanto, o investimento em publicidade na rede ainda está em descompasso em relação a esses dados mundiais, apesar de apresentar uma tendência de alta. Segundo o Projeto Inter-Meios, a internet recebeu apenas 2% dos investimentos em publicidade no ano passado, contra 4,1% do rádio. Neste ano, no acumulado até setembro, esse índice era de 2,6%, ante 3,9% das rádios.
A expectativa é que os gastos globais com publicidade na rede cheguem a US$ 360 bilhões neste ano, uma alta de 32,4% em relação a 2006. Nos próximos quatro anos somados, esse índice de incremento deve ser de 69%, chegando a US$ 61 bilhões em 2010, o que representaria 11,5% do mercado publicitário naquele ano. Isso posicionaria a web na terceira colocação, atrás da televisão, que se manteria líder com 37,5% e dos jornais (25,4%), e na frente das revistas (11,4%), rádio (7,7%), outdoor (5,9%) e cinema (0,5%).


Fonte: Jornal O Estado de São Paulo

Fábrica de sapatos promete processar a Vale por semelhança de logomarca


Na tarde da última terça-feira (04/12), o Portal IMPRENSA publicou matéria na qual falava sobre as semelhanças entre a nova logomarca da Vale (nova identidade da Vale do Rio Doce) e da fábrica de calçados Vitelli, localizada na cidade de Franca, interior paulista.
Em vista de tal semelhança, a Vitelli veio a público, por meio da Vilage Marcas e Patentes, dizer que tomará providências judiciais em relação à semelhança dos logos. A empresa informa que possui registro da marca, datado de dezembro de 2002. "A Vitelli possui o pedido de registro sob número 825.079.721, referente à marca VITELLI, na forma mista, acompanhada da logomarca em questão, requerida junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI)", diz comunicado.
Ainda segundo a nota, a fábrica de Franca fará uso das garantias legais sobre a logomarca, que estariam asseguradas pela Lei nº 9.610/98, que versa sobre o Direito de Autor, independentemente de haver registro.
Segundo a Vale, os registros no INPI são feitos de acordo com o setor de atuação da empresa. Ou seja, não haveria qualquer irregularidade, já que uma é uma mineradora e a outra, calçadista. Já a Vilage Marcas e Patentes argumenta que mesmo que as duas empresas atuem em ramos diferentes, a logo da Vitelli tem seus direitos protegidos anteriormente.
Fonte: Portal Imprensa

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Táxis de São Paulo ganham canal de TV próprio


Depois de ônibus e metrôs paulistanos ganharem suas "emissoras" de TV, chegou a vez dos táxis de São Paulo aderirem à iniciativa. A novidade, batizada de TV Taximania, está no ar desde o início do mês em 100 veículos que circulam pela região das Avenidas Brigadeiro Faria Lima, Luís Carlos Berrini e Hélio Pellegrino, na zona sul.
Até o fim do mês, pelo menos mil táxis de todas as regiões de São Paulo devem circular com a TV, segundo a empresa que criou o sistema e mantém a programação. Ela dura 25 minutos e tem pequenos programas com dicas de eventos, moda, turismo e beleza, apresentados pelo ator Otaviano Costa, da Rede Record, com participações da atriz Virgínia Novick e do comediante Oscar Pardini, entre outros. A meta é expandir, depois de 2008, a TV para a maioria da frota paulistana, de 36 mil táxis.
Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a nova mídia contorna um vácuo criado pela Lei Cidade Limpa para o setor de propaganda: a proibição da publicidade externa nos táxis. Diante do veto, a solução foi migrar para dentro dos carros. "No entanto, já tínhamos o projeto antes da Lei Cidade Limpa", afirma Marcus Cirilo, diretor da Taximania.
Segundo ele, a Prefeitura receberá parte da receita publicitária arrecadada com os anúncios. Só com o sistema de TV implementado em 140 ônibus, a Bus TV, a SPTrans arrecada, por ano, R$ 1 milhão.
A aceitação dos passageiros, segundo o taxista Pedro Carmelo, que foi um dos primeiros a instalar a TV, em fase experimental, é muito boa. "Os passageiros pedem para aumentar o som. Quando há crianças, pedem para trocar de lugar com os pais para ficar mais perto da tela."

Fonte: O Estado de São Paulo

Prêmio Esso de Jornalismo 2007 anuncia seus vencedores


Na noite da última terça-feira (04), em cerimônia no Hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro (RJ), foram anunciados os vencedores o Prêmio Esso de Jornalismo 2007. Das 14 premiações, 12 foram destinadas a contemplar trabalhos de mídia impressa. As outras duas categorias eram "Telejornalismo" e "Melhor Contribuição à Imprensa 2007".
Dentre os premiados, destacam-se os jornalistas Roberto Stuckert Filho, Alan Grip e Francisco Leali, ganhadores do "Prêmio Esso de Jornalismo de 2007", com o trabalho "Voto Combinado na Corte Suprema", publicado no jornal O Globo. Na matéria, os jornalistas revelaram os bastidores da mais alta corte do país, no primeiro dia do julgamento da denúncia do "mensalão", ao mostrarem troca de mensagens eletrônicas entre ministros. Após a veiculação da reportagem, os ministros Lewandoski, Carmen, entre outros citados nos e-mails, alteraram sua decisão e aceitaram as denúncias contra os 40 acusados de participar do esquema de corrupção.
Outro destaque é o ganhador do "Prêmio Esso de Reportagem 2007", o jornalista Lucas Figueiredo com o trabalho "O Livro Secreto do Exército", publicado no jornal O Estado de S.Paulo. O livro revelou como a luta armada foi vista e registrada pelos militares de "linha dura".
Na categoria "Prêmio Esso de Telejornalismo", os vencedores foram os jornalistas Giovani Grizotti, Cristiane Pastorini e Guto Teixeira da Rede Brasil Sul de Comunicação (RBS), com o trabalho "Os Fantasmas da Sapucaí".
Neste ano, o Prêmio Esso destinou um total de R$ 109 mil em premiações. A categoria principal recebeu R$ 30 mil; telejornalismo, R$ 20 mil. Além disso, foram distribuídos R$ 3 mil para cada um dos três prêmios regionais, R$ 10 mil às categorias "Reportagem" e "Fotografia" e R$ 5 mil para cada uma das categorias de "Criação Gráfica-Jornal", "Criação Gráfica-Revista", "Informação Econômica", "Informação Científica/ Tecnológica/ Ecológica", "Prêmio Esso Interior" e "Prêmio Esso de Primeira Página".


Fonte: Portal Imprensa

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

De olho na política: Lula anuncia crédito antigo para a TV Digital.


Hoje, resolvi esquecer um pouco o ditador venezuelano Hugo Chávez e quero esclarecer uma notícia divulgada na mídia sobre a TV Digital. A linha de crédito de um bilhão de reais, anunciada no último domingo, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para baratear o conversor da TV digital, não possui recurso novo. Segundo informações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), crédito será realocado de recursos por emissoras de TV. Estes recursos são os mesmo do ProTVD que está sendo utilizado para financiar o comércio varejista na venda de aparelhos conversores. Tudo isso, por que não houve demanda paras as finalidades previstas na criação do ProTVD, e, em razão disso, foi possível repassar os recursos não utilizados para financiar o varejo. Em reportagem da Folha de São Paulo, o diretor do BNDES, Carlos Ferraz, nem o presidente e nem banco erraram a informação, pois o valor pode ser acrescentado no futuro. Por um triz, uma informação importante poderia cair no descrédito da imprensa, se o BNDES não viesse explicar a origem da verba de financiamento. A verdade é que no governo Lula, a secretaria de comunicação da presidência trabalha firme no fornecimento de informações para imprensa. Comunicar-se bem é tarefa essencial para organismos públicos e privados, especialmente na era globalizada em que vivemos.

Everton Lima de olho na política.

Foto: TV Digital Japonesa no Celular

Editor de jornal não tem direito a hora extra por ocupar cargo de confiança


Jornalista que exerce cargo de editor ocupa uma função de confiança e, por isso, a ele não se aplica a jornada de cinco horas de trabalho, prevista para profissionais de comunicação na CLT. Foi com este entendimento que a 3ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho decidiu por não dar ganho de causa a um jornalista que trabalhou como editor do caderno de "Esportes" do jornal A Gazeta, de Vitória e, após ser demitido, requereu na justiça seus direitos trabalhistas.
O jornalista pedia o pagamento de horas extras além da quinta hora trabalhada, mas o entendimento do ministro Alberto Bresciani, relator do processo, foi de que o Decreto-Lei 972/69, que regulamenta a profissão de jornalista, caracteriza o cargo de editor como função de confiança.
Apesar de a CLT, no artigo 306, não incluir o editor entre as exceções para a jornada de cinco horas, o decreto-lei estabelece como privativas de jornalista profissional as atividades de confiança de editor, secretário, subsecretário, chefe de reportagem e chefe de revisão.
Em sua defesa, o jornalista alegou que o cargo de editor não é de confiança, porque acima dele existem três níveis hierárquicos: secretário de redação, diretor de redação e editor-chefe.
A argumentação do editor possibilitou que o Recurso de Revista fosse apreciado pelo TST, pois há divergência jurisprudencial entre os Tribunais Regionais quanto ao assunto. O Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região (ES), porém, julgou que o editor não tinha direito ao pagamento de horas extras. Na mesma linha foi o entendimento do ministro Alberto Bresciani. Para ele, prevalece o que determina o decreto-lei.
O jornalista trabalhou como editor esportivo no jornal A Gazeta de 1971 a 1998. Ao ser demitido, ajuizou ação trabalhista. Pediu horas extras e isonomia com outros colunistas, além de reintegração ao emprego, alegando haver cláusula em acordo coletivo que garantia o emprego a jornalista que estivesse a dois anos de se aposentar. Todos os pedidos foram julgados improcedentes.

Fonte: Site do Consultor Jurídico

STB oferece curso de Jornalismo Digital em Nova Iorque


O jornalismo digital representa uma revolução no modelo de produção e distribuição de notícias, exigindo um profissional cada vez mais ágil e antenado a essa tecnologia. De olho nessa tendência, o STB, Student Travel Bureau, apresenta o mais novo curso de seu portfólio: o One Year Digital Journalism.
Desenvolvido pela NBC News, em parceria com a New York Film Academy, o programa tem como objetivo desenvolver as habilidades dos alunos nas áreas do jornalismo digital: televisão, cabo e internet.
O curso ainda combina técnicas e princípios fundamentais do jornalismo digital com palestras e workshops, aulas de áudio, vídeo, edição, produção digital, entre outras disciplinas. Ele terá início dia 5 de março de 2008 e tem duração de um ano.
O estudante tem, ainda, a opção de conhecer o programa inscrevendo-se em workshops com duração de quatro a oito semanas, com início em julho de 2008.

Fonte: Portal Imprensa

DEM entra com ação no STF contra a MP que cria a TV pública


O partido Democratas ajuizou uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo a impugnação dos artigos 1º a 7º da Medida Provisória (MP) que criou a TV Brasil. Segundo informa o DEM, a MP não contaria com alguns pressupostos básicos para que fosse editada: a urgência e a relevância. "Seu adequado funcionamento, sem maiores dificuldades ou crises no setor, não indica - parece evidente - a presença dos pressupostos de urgência e relevância que informam o instrumento da medida provisória", versa a ação.
Ainda de acordo com a ação do partido, a Medida Provisória que cria a TV pública também é questionável na medida em que permite que profissionais e serviços extras sejam contratados sem concurso público, seja para trabalhos efetivos os temporários. "MP afronta também o artigo 37, XXI, CF, ao autorizar a EBC a contratar bens e serviços em regime simplificado, quando o mencionado dispositivo constitucional prevê essas contratações mediante licitação pública".
O relator da Ação Direta de Inconstitucionalidade será o ministro Eros Grau.

Fonte: STF

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Comentário do dia: Finalmente baixaram a moral de Chávez


Venceu o bom senso. Vitória da democracia. No plebiscito da Venezuela que decidia a reeleição perpetua dos governantes, o não venceu por 51% contra 49% dos votos e com um total de 44% de abstensão. O presidente Venezuelano Hugo Chávez reconheceu a derrota e afirmou que não vai desistir de mudar a constituição do país. Mas ele vai encontrar dificuldades, pois a oposição está fortalecida depois do resultado do plebiscito nacional. Chávez deve pensar agora no candidato a presidente para apoiar nas próximas eleições na Venezuela, ou seja, buscar alianças que fortaleçam seu poder e visibilidade política.
Quanto ao futuro de Chávez, depois voltaremos a falar em outra postagem. A pergunta da vez é: Por que o "sim" perdeu em uma eleição considerada por Chávez já vencida? Entre as propostas do sim havia uma mescla de resoluções que atendiam aos planos de Chávez e aos que interessavam ao povo de forma indireta. Por exemplo, entre medidas tinhamos a reeleição perpétua para presidente e a transformação da função do exército de defesa da soberania nacional para comando de batalha da revolução bolivariana. Isso interessava muito a Hugo Chávez. Para ganhar o povo, ele inseriu medidas que afetavam diretamente a habitação, saúde e emprego, como a diminuição da carga horária de trabalho, a cosntrução de casa populares e a reforma agrária. O medo de uma guerra através da idéia da revolução bolivariana impressionou muitos eleitores, bem como a possibilidade de não haver mais alternância de poder.
Que fique bem claro, a tentativa de Chávez é uma agressão a democracia e ao direito de escolher pelo governante da nação. Chávez proclamasse herói da América Latina para combater os Estados Unidos, mas na verdade, assemelha-se a Bush na obsessão por poder. Finalmente baixaram a moral de Chávez, de um herói que não passa de Chapolin Colorado ambicioso. Esperamos que os próximos episódios se encaminhem para o fim deste seriado, pois não aguentamos mais uma temporada de espetáculo.


Everton Lima é jornalista.

Uma nova era: TV Digital


Após anos de atraso, e sem todos os recursos prometidos, a TV digital finalmente estreou, ontem, no Brasil. Na cidade de São Paulo, os poucos felizardos que já têm sintonizador digital - o “conversor” - puderam assistir a futebol, filmes, jornalismo, música e shows de auditório pelo novo sistema. Só que o aparelho não é nada barato: custa de R$ 500 a R$ 1 mil, muito mais do que o governo esperava.
As emissoras de TV aberta começam, a partir de hoje, a transmitir sua programação no sistema digital - paralelamente aos canais comuns, analógicos, que continuarão no ar até 2016.Mas há um porém: inicialmente, pouca coisa será transmitida em alta definição (modo HD, com 720 a 1.080 linhas de resolução).


Imagem em Alta Definição


A maioria dos programas será transmitida no modo SD (standard definition, ou “resolução-padrão”), que tem apenas 480 linhas de resolução.Nesse caso, a qualidade de imagem fica melhor do que na transmissão analógica, mas o ganho não chega a ser tão grande. Ou seja: com poucas transmissões em alta definição, a TV digital perde parte do seu impacto - principalmente considerando que a interatividade e a recepção em telefones celulares, outros destaques da tecnologia, ainda não chegaram.
As emissoras preferem transmitir em SD porque requer menos investimento: podem usar as câmeras atuais e aproveitar programação já gravada. Já os programas em alta definição exigem tudo novo: novas câmeras, novos gravadores, novas ilhas de edição, novos cenários e até novas técnicas de filmagem.


Primeiros minutos da TV Digital no ar


Este é um novo tempo para a televisão brasileira que pode se comparado ao período de sua inauguração a mais de cinquenta anos. As grandes emissoras de TV prepararam aperitivos para o telespectador da imagem em alta definição. O SBT exibiu o filme Alexandre O Grande, a TV Globo apresentou no Fantástico, uma reportagem de Glória Maria na tribo Xingu. A Rede TV! transmitia ao vivo o programa Pânico na TV que ironizou o advento tecnológico da TV Digital, afirmando que os japoneses assistiam no pedaço de um churrasco. FALA SÉRIO! A Record exibiu reportagens sobre violência nas grandes cidades durante o programa Domingo Espetacular. Na foto , você confere a família Nascimento dos VTs da propaganda da inauguração da TV Digital.