sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Blogs: entre a mídia informativa e o divã das celebridades


No ano passado, levantamentos deram conta de que foram criados 120 mil novos blogs a cada dia em todo o mundo. O loteamento feito neste terreno infinito que é a internet é usado da forma como cada um acredita ser mais adequada a seu estilo. Assim, aparecem blogs sobre todos os assuntos possíveis e imagináveis - e até sobre assunto nenhum.
Quando criados, a idéia era de que os blogs seriam espécies de "diários virtuais", dentro dos quais o internauta poderia tirar da "agendinha" suas experiências e, ao invés de fechá-las com cadeado, dividi-las com qualquer pessoa que se dispusesse a perder uns minutos na leitura.
Logo, foi-se percebendo que seria possível usar a nova plataforma como mídia. Surgem aí, os blogs de jornalistas, sempre recheados de informações quentinhas, com notas de bastidores, análises políticas, críticas e afins. Cito aqui exemplos como Blog do Noblat, Blog do Josias, Kennedy Alencar, Juca Kfouri, Rosana Hermann, entre outros.
Ainda entre os blogs de informação, podemos citar os que usam os textos para tratar, com leveza e conhecimento de causa, temas normalmente difíceis de serem expostos. Aqui, minhas reverências a Jairo Marques, que mantém o Assim como você - espaço destinado a contar histórias de pessoas "fora do padrão", mas que não fazem de sua deficiência (seja ela qual for) um pretexto para uma vida medíocre - e a Alison Bryan, que criou o Deaf-blogs.com, voltado para que pessoas surdas de todo o mundo possam trocar suas experiências, seja por vídeo, utilizando a linguagem dos sinais, seja por textos postados.
Dentro deste universo blogueiro, as celebridades nacionais encontraram seu espaço não só para divulgar seus trabalhos, como para abrir seu coração ao público. Não é raro lermos notícias que começam ou terminam em "disse em seu blog". Exemplos disso são Luana Piovani, Cléo Pires e Agnaldo Silva. Foi um desses desabafos que me chamou a atenção nesta linda manhã de segunda.
Criticada, espezinhada, alvo de piadas em programas de TV e revistas, a cantora, produtora e atriz Preta Gil fez uma análise interessante em seu "diário". Com a chamada "Preta Gil é motivo de piada e Melancia é símbolo sexual?", o blog mostra fotos de várias das "mulheres-fruta", abrindo com a de Melancia. Gente, é verdade, as duas têm o corpo praticamente idêntico. Cliquem e vejam. Eu, então, também me pergunto: por que Preta Gil é motivo de piada e Melancia é símbolo sexual?
Bom, na minha humilde opinião, a culpa é da mídia, claro. A mídia de celebridades parece sempre precisar de um novo "fenômeno", algo que motive o interesse e a curiosidade do leitor. Por isso ficamos sabendo de tantos casamentos e separações, tantos "novos fenômenos da música", tantos "causou frisson".
O curioso é que cada vez mais, é necessário cada vez menos para alcançar a "celebridade". Hoje, no Brasil, não é necessário que se tenha um grande talento para se chegar ao "estrelato". Não é exigido estudo ou esforço. Basta entrar na "onda do momento" e se adequar aos estereótipos. Tivemos a fase "dançarinas de axé", a fase "Feiticeira", "Tiazinha", a fase "Ninja do Funk", a fase "BBB", agora estamos mergulhados numa salada de frutas. Ainda dá tempo: se você quiser seus 15 minutos de fama, escolha sua fruta predileta e mãos à obra.


Thaís Naldoni é jornalista, graduada pela Universidade Estadual Paulista (Unesp). Com passagens pela Folha Online e Sportv, também atuou como repórter e secretária de redação da Revista IMPRENSA

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Publicidade: Marcelo Passos é o novo diretor de atendimento da África


A agência Africa anunciou a incorporação do publicitário Marcelo Passos, como novo diretor de Atendimento da empresa de comunicação. O profissional, de 35 anos, migra da MPM Propaganda, onde era responsável pelo mesmo departamento a que se encarregará na África. Segundo Passos, a mudança foi motivada pelo que denominou de "espírito agressivo" dos clientes atendidos pela contratante. A admissão terá início efetivo no dia 8 de dezembro e o publicitário terá como primeira incumbência a direção do grupo de contas da Ambev.
Nos últimos quatro anos em que esteve à frente da área de atendimento da MPM, o profissional acumulou a experiência de trabalhar com clientes de grande visibilidade no mercado, como Leroy Merlin, Burger King e C&A. Marcelo Passo é graduado em publicidade e propaganda pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP) e, em 2007 foi indicado como profissional de atendimento do ano, no Prêmio Caboré.
Além da Ambev, a Africa, existente no mercado publicitário desde 2002, conta também com clientes como Vivo, Mitsubishi e Folha de S.Paulo.


Fonte: Portal Imprensa

Gafe: O repórter Sandro Gama (Band) declara amor pelo Vasco


Na véspera a uma entrevista coletiva da equipe de futebol do Vasco da Gama, o repórter esportivo da TV Bandeirantes, Sandro Gama, passou por uma situação embaraçosa ao se "expressar" junto aos companheiros de profissão. Segundo informou a agência Futebol Interior, no último sábado (29), o profissional teria sentado na bancada dedicada aos jogadores e comissão técnica do clube cruz maltino, e relatado, em alto e bom tom, a paixão pelo Vasco da Gama.


Além da preferência pelo clube carioca, o repórter também mencionou o desdém ao clube arqui-rival, Flamengo. O "apaixonado" torcedor só não contava com a câmera ligada de um companheiro presente à coletiva do Vasco da Gama que, não só gravou as "previsões" do profissional, como disponibilizou o vídeo a internet.


Clique aqui e assista o vídeo
Fonte: Portal Imprensa

Blogue: Publicitários invadem a blogosfera


Estive navegando hoje pela internet e encontrei blogues editados por publicitários. Gostaria de indica-los para leitura:


Blogue Fazendo Atendimento - Kátia Viola traz informações e troca idéias para quem exerce a função de atendimento publicitário, estudantes e interessados na atividade. Ela integra a equipe de atendimento da Euro RSCG Brasil. O currículo de Kátia possui agências como MacCann-Ericksson, J. Walter Thompson, Staff de Comunicação, Aroldo Araújo, Denison Rio, OPM e Contemporânea. Ela pode falar sobre o tema com muita propriedade.


Blogue Planejamento de Comunicação - O professor Ivan Ferraz traz estratégias e formas de planejar a comunicação social. Ele possui outros blogues como Ambientes de Marketing, Planejamento de Mídia, Marketing Pessoal e Mídia II.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Artigo da Semana: O papel do webjornalista


No jornalismo digital, há uma nova figura das atribuições das redações e dos profissionais, que tendem a ser autônomos e produtores de conteúdo multimídia. As rotinas forma alteradas em função dos critérios utilizados para construir a informação na web, exceto, no que se refere a coleta de informações. A notícia digital tem a atualização constante, pois sua palavra de ordem é o tempo real. A maior diferença entre um jornalista da mídia impressa, por exemplo, e um webjornalista é a rotina produtiva.

A pressa do tempo real da notícia, causa o detrimento da qualidade da informação e transformou o jornalista em um mero plagiador em nome da instantaneidade. Há sites jornalísticos que não checam as informações e apenas colam os dados da rede através dos recursos do control C, control V. Entretanto, é necessário valorizar o trabalho de apuração e elaboração da notícia, a fim de que os princípios norteadores não sejam abalados por uma estrutura tecnológica.
Estas considerações nos levam a fazer dois questionamentos importantes: Qual o papel do webjornalista? E como se deve construir e que identidade deve assumir a notícia digital? Inês Mendes, no artigo A Internet e o novo papel do jornalista, destaca a posição de Paulik, que apresenta a figura do profissional como interprete dos acontecimentos para estabelecer ligação entre as comunidades envolvidas. A nova realidade exigiu novas habilidades e conhecimentos dos jornalistas, já que a web disponibiliza uma linguagem multimídia. O jornalista on-line necessita reunir os seus conhecimentos do impresso, do rádio e da televisão.

A valorização do jornalista é a capacidade de refinar informação obtida de uma matéria prima comum a quase todos. Na era da informação e da liberdade de conteúdo, os usuários não estão preparados para esta realidade e necessitam de uma informação organizada. A maneira como se organiza, exige uma maior cautela na hora de definir quais serão as fontes ouvidas, para evitar erros e a perda de credibilidade do veículo de comunicação na web.

Dica de TV: Quinze Minutos na MTV


Caso não tenha realmente o que fazer durante a semana. Risos. Ligue a televisão durante a semana na MTV (às 21h45min horário de Brasília) e acompanhe o programa Quinze Minutos com a apresentação de Marcelo Adnet e o seu amigo Quiabo. Eles discutem os temas mais bizarros e pouco importantes para um veículo de massa.


O programa é engraçado e o Marcelo Adnet trata dos assuntos com muito humor. Um detalhe importante! O programa tem a duração de quinze minutos com exibição de segunda a quinta. Assista e confira.




Rosana Hermann vence concurso da Deutsche Welle com melhor weblog em português


O blog Querido Leitor, da jornalista Rosana Hermann - apresentadora do programa "Atualíssima", da Band, ao lado de Leão Lobo - foi o vencedor da categoria Melhor Weblog em Português do prêmio The Best of Blogs, The Bobs, concurso da Deutsche Welle - empresa de comunicação alemã que engloba rádios, emissora de TV e página na internet.
A página de Rosana teve 31% dos votos, de um total de mais de 120 mil votos registrados. Concorreram também nesta categoria os blogs brasileiros Futepoca (Futebol, Política e Cachaça) (3º lugar), Nova Corja (5º lugar), Tolerando (6º lugar), Bichinhos de Jardim (7º lugar), Blog (ae)! (9º lugar), Quintal (10º lugar) e Traduzindo o Juridiquês (11º lugar).

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Comentário do dia: A pesquisa e a evolução humana


Dizer que o pensamento e o conhecimento modificam-se ao longo tempo é óbvio e perceptível, mas explicar as razões e circunstâncias que evidenciam este conceito, que se conjuga em um encadeamento de idéias, convida-nos para uma reflexão. Primeiramente, vamos considerar que as coisas presentes em nosso cotidiano superaram outras um dia, e no futuro serão superadas. Logo, observando a evolução crescente do ser humano como um traço de crescimento particular no tocante a adaptações para qualidade de vida.
O instrumento responsável por essa transformação é capaz de analisar o contexto do fenômeno, as causas e efeitos, e que perspectivas e benefícios pode-se aproveitar para a humanidade: pesquisa. Descobrir novos horizontes e avanços para qualidade de vida do ser humano, além de soluções para problemas enfrentados por um corpo social que visam bem comum, se configura nas funções da pesquisa. Nesse sentido, encontramos uma justificativa para pesquisa e o cerne da sua importância inserido na finalidade de cada projeto desenvolvido.
Com avanço da prática da pesquisa, o legado do conhecimento passa por transformações, uma vez que a pesquisa pretende alcançar descobertas que comprovem o que já se defende ou supere tese. Nas ciências naturais essa premissa é uma constante, tendo em vista a complexidade e diversidade de fenômenos a serem estudados. Para tanto, buscam-se metodologias diferentes que se adequem aos objetos, concebendo de carga teórica preliminar que reforce o estudo do fenômeno. Mas vale lembrar que os resultados da pesquisa não dependem de subjetividade, mas de objetividade.
No campo das ciências humanas, a perspectiva de objetividade e subjetividade é inversa, uma vez que o pesquisador observa os fenômenos através de seu olhar preconcebido de suas próprias ideologias e filtros. Outro aspecto nas ciências humanas é a dinamicidade e capacidade de mudança do objeto de estudo, fazendo-se necessário à busca de metodologias e referencias teóricos adequados. A finalidade de ambas é buscar desenvolvimento e qualidade de vida para o ser humano, ou seja, não se pesquisa conhecimento por conhecimento ou problema por problema, mas conquista-se além dessas variantes.
A construção do saber implica na inovação de bens materiais simbólicos (ciências humanas) e concretos (ciências naturais), que correspondem aos seus respectivos campos na atuação de benefícios para a humanidade. Daí o conceito de superação e transformação das coisas. A justificativa é simplificada na idéia de evolução humana no âmbito do pensamento, da tecnologia, do meio ambiente, da saúde e outros, porém, o principal desencadeador dessa transformação é a pesquisa.

E-mail: Mídia se cala diante de acordo do governo com a Santa Sé


Recebi um e-mail do professor Ricardo Silveira, e disponibilizo a discussão iniciada no site do Observatório da Imprensa. Leia o assunto e comente.


O Observatório da Imprensa exibido na terça-feira (25/11) pela TV Brasil e pela TV Cultura discutiu a cobertura dos meios de comunicação sobre o acordo firmado no dia 13 de novembro entre o governo brasileiro e a Santa Sé, assinado durante a recente visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Vaticano. A mídia ofereceu pouco espaço ao acordo, que pode ferir o princípio do Estado laico. O tratado, que confere formato jurídico às relações entre o Executivo Brasileiro e a Igreja Católica, tem pontos polêmicos.
O acordo prevê, por exemplo, o ensino religioso nas escolas públicas, com presença facultativa, e a possibilidade da anulação do casamento civil no caso o matrimônio religioso ser desfeito. Participaram do debate ao vivo, no estúdio do Rio de Janeiro, o reverendo Guilhermino Silva da Cunha, pastor da Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro, e a cientista política Roseli Fischmann. Em Brasília, participou o representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Hugo Sarubbi Cysneiros.
No editorial que inicia o programa, o jornalista Alberto Dines classificou a atuação da mídia como "embargo noticioso ou auto-censura". O acordo foi mantido sob sigilo porque infringe o espírito e a letra da Constituição Federal. Além de os jornais não terem dado destaque à assinatura do acordo, a mídia eletrônica evangélica não protestou. Na avaliação de Dines, os grupos evangélicos têm sido privilegiados pelo governo de outras formas. "Significa que no lugar de seguir a Constituição e estabelecer completa separação entre estado e religião, o Brasil inventou uma forma original de administrar o conflito religioso, oferecendo vantagens às confissões religiosas mais poderosas", avaliou.
"E como ficam os secularistas e agnósticos que acreditam que um estado democrático deve ser obrigatoriamente laico? E as outras confissões religiosas afro-brasileiras, como o candomblé, não deveriam entrar no bolo de privilégios? Estamos na contramão do mundo desenvolvido e nossa imprensa, esquecida dos três séculos de censura absoluta antes de ser autorizada a funcionar, teve um surto de saudosismo e voltou a experimentar as delícias da auto-censura", criticou o jornalista.
Na reportagem exibida antes do debate ao vivo a repórter especial da Folha de S.Paulo, Elvira Lobato, estudiosa das questões que envolvem as concessões de radiodifusão no Brasil, explicou que o Código Brasileiro de Telecomunicações é da década de 1960. A norma não permite que denominações religiosas detenham concessões canais de rádio e TV mas, na prática, grande parte das igrejas conseguem burlar a lei. Algumas não são concessionárias, mas arrendam o espaço em emissoras privadas o que "para efeito de mercado dá no mesmo" porque levam a mensagem ao fiel. Já o fenômeno do altar eletrônico, que vêm crescendo continuamente, passou a ser uma importante fonte de renda para as emissoras privadas.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

A TV Digital no telefone 70 anos depois


A julgar pelos números divulgados pelo Fórum do Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre- SBTVD, em torno de 150 mil brasileiros estarão assistindo televisão até o final do ano pelo telefone celular, Iphone ou similares. O número pode ser menor já que a estimativa refere-se a plataformas móveis, nesse caso incluídos aparelhos de TV portáteis, em todo caso uma referência numérica. O fato é que um ano após a implantação do sistema de TV digital no Brasil, realiza-se o sonho de nossos antepassados, os técnicos que idealizaram a telinha e já em 1935 com o avanço dos receptores de alta definição de imagem para a época, 120 e 240 linhas, perguntavam-se: qual a plataforma ideal para se assistir a TV? O rádio ou o telefone?
"O articulista A. Castellani em matéria publicada na revista "Sapere" de Milão indagava:" Poderemos ver ao próprio aparelho telefônico a imagem viva de quem está falando e ao mesmo tempo sermos vistos pelo interlocutor? Poder-se-á assistir na própria casa a qualquer acontecimento que tenha lugar na própria cidade ou algures? ". Mais adiante define o que considera a melhor opção: "O escopo da televisão é difundir pelo rádio, imagens vivas próprias de uma cena teatral... O fim principal é, portanto bem diferente do da aplicação da televisão ao telefone. O que se verificou com o telefone (isto é, teve-se primeiro o telefone e depois a radiotelefonia) não se pode verificar com a televisão por motivos que logo veremos".
Catelani conclui que a plataforma da TV será o rádio acoplado a um aparelho com a válvula catódica e assim descreve o equipamento para uma eventual recepção à domicílio: "um radio-receptor especial de onda ultra-curta para captar as ondas que transmitem as imagens e um rádio-receptor normal para captar as ondas que transmitem os sons e, portanto, poder acionar o respectivo altofalante". Do outro lado do oceano, o editorialista do "Popular Mechanics" de Chicago imaginava uma tela minúscula de no máximo 5 x 7 polegadas, ou seja, um pouco maior do que a tela do Iphone, tamanho então considerado ideal para se ter uma imagem de razoável definição.
No ano seguinte (1936) o técnico Augusto Hogony na revista "Sapere" comparava a tela de TV com a do cinema e observava: "O que importa é o ângulo sob o qual é visto o quadro. Nem todos os construtores compreendem a importância psicológica, com quadros tão pequenos, de eliminar do campo visual tudo que possa distrair a atenção e lembrar as verdadeiras dimensões da imagem". Hogony calculava em três anos o tempo para se implantar a TV na Alemanha, a depender do alto custo dos transmissores e cabos, investimento muito elevado para uma cobertura em torno de 70 kilometros, mas lamentava a falta de um padrão definido de monitor. Não diz no seu artigo, mas referia-se as experiências realizadas simultaneamente e sem interação entre sim, nos Estados Unidos, Inglaterra e Alemanha.
O fato é que a iminência e realidade da II Guerra Mundial adiaram os planos desses paises. A Alemanha fez cobertura fechada das Olimpíadas de Berlim, Os engenheiros da Baird na Inglaterra promoveram experiências em eventos públicos, enquanto os americanos realizavam transmissões experimentais no seu território e também em Cuba e no México. Com o fim do conflito e a ruína dos paises Europeus, os Estados Unidos definiram o padrão de TV, o tipo de monitor, a plataforma e até a infra-estrutura com a RCA fabricando e vendendo transmissores e antenas pelo mundo afora. Definiram também os conteúdos, a partir da indústria do cinema adequada a um modelo de seriados, os famosos enlatados, o nome uma referência à embalagem em que vinham acondicionados os rolos.
Os nossos antepassados imaginaram a TV como um complemento do rádio e do telefone. Bobinhos eles, mas estavam certos.


Nelson Váron Cadena é colombiano, residente em Salvador desde a década de 70. Autodidata, realiza atualmente o curso de jornalismo na Unibahia.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

A blogosfera mossoroense recebe um novo blogue ancorado no espaço da web


Quero anunciar o nome de um novo blogueiro em Mossoró: Andrey Ricardo. Intitulado "Blogue da Insegurança", o espaço mostra uma leitura das notícias da editoria de polícia de vários jornais da cidade e outros estados. Antecipando aos jornais locais, ele traz os detalhes dos fatos e conta o outro lado da notícia sob uma visão não delimitada pela linha comercial.


Parabéns pela iniciativa, meu amigo Andrey Ricardo. A partir de hoje, você ganha um espaço na área de links do nosso blogue.




Televisão influencia iniciação sexual precoce, aponta estudo


Um estudo, publicado recentemente pela revista Journal of Youth and Adolescente, constatou a relação entre o tempo excessivo gasto na televisão e a iniciação sexual precoce. No levantamento, feito com 273 adolescentes entre 13 e 15, foi demonstrado que 25% já havia tido a primeira relação, das quais todos apresentavam como diferencial a maior exposição aos programas veiculados na TV, informou a agência Reuters.
De acordo com Janet Hyde, coordenadora do estudo, os personagens jovens exibidos na televisão têm sexualidade bem superior em relação à média, o que influencia os adolescentes a adotarem comportamentos difusos. "A garotada que assiste muita TV acredita que todos os garotos e garotas estão fazendo sexo, então tem de fazer isso também, ou serão esquisito", declarou a pesquisadora.
Além da TV em excesso, o levantamento demonstrou que a auto-estima baixa, o mau relacionamento familiar e déficit de atenção também são sinais perceptíveis entre os jovens com vida sexual ativa.


Fonte: Portal Imprensa

Cristo Folia: primeira micareta cristã católica de Mossoró


Mossoró é uma cidade conhecida pela forte religiosidade atribuída a devoção da virgem dos olhos, Santa Luzia. Tal fato justifica ela sediar a primeira micareta cristã católica da história do município: Cristo Folia, nos dias 19, 20, 21 de dezembro de 2008, no Espaço Villa, do Hotel VillaOeste. O evento é uma realização do Encontro de Jovens Católicos (EJOC) da Capela do Menino Jesus do Santa Delmira – Paróquia de São José, e do Ministério Jovem da Renovação Carismática Católica (RCC).
O Cristo Folia é uma espécie de micareta cristã de três dias de duração com bandas de música católica, adoração ao santíssimo sacramento e muita alegria. A programação consta de dois dias de animação de bloco com trio elétrico, e no último dia, uma pagodeira cristã. A animação é das seguintes bandas: Protectori (Mossoró-RN), Sacrário Vivo (Mossoró-RN), Divina Luz (Natal-RN) e cantora de música católica (Axé Music), Jake (Salvador-BA). Os abadás podem ser adquiridos ao preço de R$ 30,00, nas Livrarias Pentecostes e a Rainha da Paz no centro da cidade, no escritório da RCC no bairro Barrocas, e na capela do Menino Jesus de Praga, no Santa Delmira.
Em busca de novas alternativas para o desenvolvimento artístico, espiritual e humano, o Cristo Folia procura com sua expressão própria, favorecer a cada jovem ou a cada família um encontro direto com essas realidades. A iniciativa tem como missão favorecer uma diversão cristã sadia, dando oportunidade de um lazer diferenciado. O Cristo Folia visa também à divulgação da música católica como uma opção dentre outras, mostrando que nós católicos podemos nos divertir sem o uso do álcool e outras drogas que geram violência e a desarmonia social.

Feira do Empreendedor incentiva empresários


Estive trabalhando na Feira do empreendedor, promovida pelo Sebrae em Mossoró (RN), e constatei alguns casos de negócios importantes que receberam orientação e aperfeiçoaram o empreendimento. Empresários de vários segmentos da economia do município e região procuraram consultoria, a fim de encontrar soluções para os entraves que impedem a ascensão da empresa.
É o caso do fabricante de massas para pizzas e pastel, Sérgio Galdino Souza, que há quatro anos vende o produto para supermercados e varejistas. Ele começou a fábrica trabalhando apenas com pequenos comerciantes do bairro. A clientela cresceu e passou a abranger duas grandes redes de supermercados da cidade.
Para atender esta nova demanda, Sérgio visualizou a necessidade de aumentar o ritmo da produção, mas sem aumentar os custos. Diante disso, ele foi procurar financiamento para aquisição de novas máquinas na Feira do Empreendedor. No local, analistas de negócio do Sebrae atenderam o empresário que relatou a situação da empresa.
No salão de máquinas do evento, a equipe de atendimento pesquisou alternativas de custo mais baixo e maior produtividade, mas também oportunizou uma consultoria da empresa e visitou o local de fabricação do produto. “Identificamos que a máquina solicitada por Sérgio para financiamento tinha custo alto e obrigaria contratação de mais funcionários para manuseá-la. Vimos que a empresa necessitava aumentar o fluxo produtivo e valorizar a marca e o padrão de qualidade do produto”, conta Lorena Lima, analista de unidade de orientação empresarial.
Diante da explanação dos analistas do Sebrae, Sérgio revela que uma nova perspectiva foi aberta para seu negócio por meio do melhoramento da estrutura e produção de qualidade. “Tenho o ânimo renovado para conduzir minha empresa e planejar metas a serem alcançadas após a injeção dos investimentos”, comenta. Ele elogia a disponibilidade e o trabalho desenvolvido pelo Sebrae para ajudar o seu empreendimento, e admite não colocar resistências as orientações recebidas.

Pesquisa mostra que brasileiros assimilam pouco notícias sobre crise


A Ipsos, multinacional francesa e maior empresa de pesquisa Ad-hoc do país, divulgou uma pesquisa Pulso Brasil de indicadores econômicos, feita com o objetivo de constatar as percepções do consumidor brasileiro diante de um cenário de crise financeira e seu nível de interesse em acompanhar notícias sobre o assunto.
Mil entrevistas foram realizadas entre os dias 20 e 30 de outubro, em 70 cidades e nove regiões metropolitanas. Os resultados mostram que a crise financeira não está na lista das preocupações da maioria dos brasileiros, que se mantém otimista e disposta a fazer compras neste final de ano.
Apenas 11% dos entrevistados afirmaram ter acompanhado notícias sobre a crise em outubro, e 16% declararam que tem acompanhado "muito" a crise. As pessoas de classes AB se concentram neste segundo grupo, chegando a 30%.
Questionados sobre o efeito da crise no dia-a-dia, 33% dos entrevistaram informaram que ela é relevante e 67% disseram que não. Entre os que responderam que sim, 54% informaram que o maior efeito sentido foi o aumento dos preços de produtos alimentícios e 23% disseram sentir a inflação mais alta e o aumento do custo de vida.
No entanto, de acordo com a Ipsos essas questões já despontavam como temas na mídia antes dos eventos sobre a turbulência mundial, o que revela uma dificuldade da população em relacionar as notícias com as situações cotidianas.
Fonte: Portal Imprensa

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Comentário do dia: A notícia está acima de tudo, inclusive do bem comum?


Há determinados momentos na profissão de um repórter que irão exigir mais do que a técnica de um bom texto ou reportagem. O jornalista necessita de discernimento diante dos fatos apurados na hora de divulga-los. Porém, fazer esta escolha implica somente na concepção ética do jornalista ou de conhecimento e percepção do mundo? Não. Os diretores da empresas jornalísiticas possuem uma parcela de responsabilidade quanto a veiculação da notícia.


Já comentei que determinadas coberturas televisivas assemelham-se a uma novela da vida real. Hoje quero aproveitar para ressaltar que alguns casos ultrapassam o limite do bem comum, prejudicando a imagem das pessoas e incentivando a atitudes equivocadas. Vale lembrar que é consenso em grande parte dos jornais do país que divulgar suícidios incentiva as pessoas cometer o ato.


Mas, o que é o bem comum? O Bem comum se identifica com o Bem supremo, Bem geral, Bem de todos, Interesse público, e expressões correlatas. Está contraposto aos Bens das Partes, Bens ou interesses particulares, sem os anular, pois um dos fins últimos do Bem comum é garantir a cada um sua perfeição para servir à comunidade.


Com base no conceito acima, observando as coberturas jornalísticas da atualidade percebemos que alguns casos a notícia está acima de tudo, inclusive do bem comum. É necessário refletir a prática jornalística e acabar com a história que discutir ética em jornalismo é debater sexo dos anjos. Não podemos culpar os fatos e circunstâncias, quando podemos evitar aquilo que atribuímos como sem explicação.

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Última da semana: TV Globo perde ação trabalhista movida por ex-apresentadora do "Jornal Hoje"


Esta é a última da semana. Bombástica. Particularmente, não tinha conhecimento dessa história. Confira.
O Tribunal Superior do Trabalho (TST) obrigou a TV Globo a reconhecer o vínculo de emprego da jornalista Cláudia Cordeiro Cruz, que trabalhou entre 1989 e 2001, sem carteira assinada, como repórter e apresentadora do "Jornal Nacional", "Jornal da Globo", "Bom Dia Rio", "Jornal Hoje", "RJ TV" e "Fantástico".

Segundo o site do Tribunal Superior do Trabalho, a jornalista informou que, para prestar serviços à TV Globo, ela teve que formar uma empresa - a C3 Produções Artísticas e Jornalísticas - para fornecer sua própria mão-de-obra. Em julho de 2000, após vários contratos de "locação de serviços", a emissora informou que o acordo com Cláudia não seria renovado. Pouco tempo antes, ela havia sofrido de uma faringite, considerada doença ocupacional.

A jornalista entrou com uma ação trabalhista pedindo vínculo de emprego e ressarcimento das despesas e indenização por danos morais, já que passou por uma cirurgia por conta da faringite e nenhuma despesa foi paga pela emissora. Um ex-diretor de jornalismo da Globo, a quem Cláudia foi subordinada, afirmou que a empresa pautava suas reportagens na maior parte das vezes, que seu horário de trabalho era determinado e que ela obedecia à ordens em relação a maquiagem, tipo de cabelo e roupas.

O Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (TRT-RJ) observou elementos como habitualidade e subordinação, característicos de vínculo de emprego, e condenou a TV Globo a registrar na carteira de trabalho da jornalista o período de contrato de maio de 1989 a março de 2001, com o salário de R$ 10 mil. A emissora recorreu, mas o TST rejeitou Agravo de Instrumento, mantendo a decisão do TRT.
Para a Justiça, alguns tópicos do contrato de prestação de serviços, como o pagamento de "uma quantia adicional correspondente à remuneração que estivesse percebendo" nos meses de dezembro, caracterizavam vínculo trabalhista. Segundo o ministro Horácio Senna Pires, relator do caso, a atitude da emissora "se tratava de típica fraude ao contrato de trabalho, caracterizada pela imposição feita pela Globo para que a jornalista constituísse pessoa jurídica com o objetivo de burlar a relação de emprego".

Artigo da semana: Caso de polícia, essa polícia


Lindemberg Alves Fernandes, 22, não tinha antecedentes criminais. Mas tinha um revólver, que usou a queima-roupa para matar a ex-namorada Eloá Cristina Pimentel, 15, com um tiro na cabeça e para acertar a amiga de ambos Nayara Rodrigues da Silva, com outro em pleno rosto.
Roberto Costa Jr., 28, era motorista da família Sendas e filho do motorista pessoal e funcionário de quase três décadas do empresário Arthur Antônio Sendas, 73. Costa Jr. também não tinha antecedentes criminais. Mas, como Lindemberg, tinha um revólver e não titubeou em matar o patrão dele e do pai com um tiro no rosto.
Daniel Pereira de Souza, 22, tinha sido detido por tráfico de drogas e andava armado. Desde que saiu da cadeia, três meses atrás, ele insistia que queria retomar o relacionamento com Camila Silva Araújo, 16, com quem tinha um filho de um ano e meio. Camila foi irredutível. Recebeu um tiro na cabeça e morreu.
Você não acha que foi tudo muito fácil? Lindemberg, Roberto e Daniel foram ali na esquina e compraram suas armas, entraram nas casas de suas vítimas e brincaram com a vida e a morte. Assim, determinarem o destino de famílias inteiras.
Um fator decisivo dessas tragédias é, evidentemente, o perfil frio e descontrolado dos três assassinos. Mas um outro, que não pode passar despercebido, é a facilidade com que qualquer um pode comprar armas neste país, a qualquer hora, por qualquer motivo, a qualquer preço. Ninguém sabe, ninguém viu.
Lindemberg, Roberto e Daniel, entre milhares de outros, são os assassinos que puxaram o gatilho. Mas ninguém pergunta pelos assassinos que lhes venderam as armas. Quem são? Onde estão? Quem serão suas próximas vítimas?
Esse é um típico caso de polícia. Mas com essa polícia que nós temos por aqui...


Eliane Cantanhêde é colunista da Folha de São Paulo

Dica de Leitura: O Perfume


O Perfume é um romance do escritor alemão Patrick Süskind publicado pela primeira vez em 1985. Foram vendidos 15 milhões de exemplares em quarenta línguas. O título original alemão é Das Parfum, die Geschichte eines Mörders, "O Perfume, História de um assassino". O Perfume foi considerado o livro da década de 80 na Alemanha


A história situa-se no século XVIII, em Paris, depois em Auvergne, em Montpellier, em Grasse e finalmente retorna a Paris. O protagonista, Jean-Baptiste Grenouille, nasceu no meio de tripas de peixe atrás de uma banca, onde a mãe, que algumas semanas depois foi executada por infanticídios, vendia peixe.


Grenouille um dia encontra uma jovem, com um perfume totalmente diferente de todos os outros milhares de perfumes que ele guardava na memória, e acabará por matá-la, com as suas próprias mãos, de tanto desejar apoderar-se do seu odor. Mas, esta jovem é apenas uma das muitas jovens que o protagonista acaba por matar (26 no total), em busca do perfume perfeito.

Evento: Ricardo Kotscho abre forúm de comunicação pública em Fortaleza


O jornalista, colunista e repórter especial do IG, Ricardo Kotscho, fará a conferência de abertura do II Fórum de Comunicação do Governo Federal no Nordeste, a realizar-se nos dias 10 e 11 de novembro, na sede do BNB, em Fortaleza (CE). “A imprensa como controle de qualidade das políticas públicas” será o tema da palestra, que deverá reunir profissionais de comunicação e cultura de instituições ligadas ao Governo Federal.


Autor de vários livros, Kotscho é diretor adjunto da revista "Brasileiros" e trabalhou nos jornais “O Estado de S. Paulo”, “Folha de S.Paulo”, "O Globo" e "Jornal do Brasil", nas revistas “Isto É” e "Época", nas redes de televisão Globo, CNT, Bandeirantes e SBT. Foi assessor de imprensa do candidato Luiz Inácio Lula da Silva em 1989, 1994 e 2002 e secretário de Imprensa e Divulgação da Presidência da República no período 2003/2004.


Os interessados podem se inscrever até o dia 05 de novembro no portal do BNB.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Blogues: Censura a liberdade de imprensa


O blogueiro Paulo Cezar de Andrade Prado, autor do "Blog do Paulinho", dedicado à cobertura esportiva, teve o prédio em que mora, em São Paulo, invadido por dois investigadores do 78º DP.

Segundo informações do blog do jornalista Juca Kfouri, apesar de a Polícia Civil de São Paulo estar em greve, "os dois ameaçaram o porteiro e o zelador do prédio e esmurarram a porta do apartamento de Paulinho, sob o pretexto de entregar uma intimação para que o blogueiro comparecesse à delegacia do Jardim Paulista para fazer 'esclarecimentos'".


No post, o jornalista conta que Paulinho chamou a Polícia Militar, e "assim que a sirene do carro da PM foi ouvida, os investigadores, que estavam acompanhados de mais um homem, saíram apressados do edifício". "Está claro que houve uma típica ação de intimidação, coisa de bandidos, de bicheiros, de gente que se sente incomodada com o que o blog publica e que em vez de recorrer aos instrumentos que a Justiça oferece prefere optar por práticas covardes", finaliza Kfouri.


Em seu blog, Paulinho explicou, na última terça-feira (21), que foi vítima "de um ato de banditismo, praticado por Policiais Civis de São Paulo". "Quero agradecer pela solidariedade de amigos que me ajudaram. Também à manifestação de leitores do blog. E ao amigo Juca Kfouri, pela coragem de se posicionar sobre o assunto. É muito bom saber que não estou só", disse o blogueiro.




quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Comentário do dia: Copiando de outro blogue


Li no blogue do jornalista Paulo Henrique Amorim, e transcrevo para o meu blogue:


O seqüestrador de Santo André disse que se entregaria, com as duas moças, se a Polícia aceitasse uma exigência: divulgar uma carta do Promotor, em que ele se comprometia a pedir uma pena leve, por entender que o seqüestrador vivia uma situação difícil.


A exigência incluía que a divulgação da carta fosse feita através do apresentador da Rede Record, Reinaldo Gottino, que cobriu o seqüestro desde o primeiro momento. . Gottino entrou em contato com os comandantes da PM na operação – Ricardo e Felix – e os dois concordaram: Gottino podia ler a carta do Promotor, porque isso poderia levar ao fim do seqüestro.


A repórter da Record Letícia Gil, de fato, leu a carta do promotor, em primeira mão, naquela tarde de sexta-feira trágica.


A partir de agora, passo a divulgar informações não confirmadas, mas de fontes em que confio:
. O seqüestrador teria dito aos policiais que, lida a carta, ele se entregaria.
. O seqüestrador, porém, disse que só se entregaria se o Gottino saísse com ele e as moças do apartamento.
. Os comandantes da operação consultaram o Governador José Serra.
. José Serra disse que não aceitava aquela condição.
. O Conversa Afiada espera que o Governo do Estado esclareça se, de fato, uma equipe da Record – e não da Globo - poderia ter dado fim ao seqüestro.
. E se fosse uma equipe da Globo ?
. Essa é uma das questões sinistras que ficam em suspenso, nessa incompetente tentativa da PM de São Paulo de resolver um seqüestro: como é que se deixa um seqüestrador acompanhar dentro do apartamento o que as emissoras de televisão dizem dele, do lado de fora ?
Comente e debata sobre o assunto.


Formação: Instituto IDEIAS oferece cursos on-line gratuitos


O Instituto IDEIAS ultrapassou a marca de 800 inscritos em seus cursos online gratuitos. Criados para capacitar os cidadãos e permitir acesso fácil aos princípios básicos do negócio turístico, os cursos estão disponíveis no site do IDEIAS (www.ideias.org.br) ou pelo banner do Informativo IDEIAS.


Atualmente são oferecidos quatro cursos para os interessados: Estratégias de Marketing e Vendas para o Turismo, Curso Básico de Qualidade no Atendimento no Turismo, Curso Básico de Relações Inter-pessoais e Liderança e Ética e Cidadania. Os cursos se destinam aos profissionais de turismo ligados à gestão de pousadas, estudantes de turismo e interessados na área.


Quem se interessar poderá receber um certificado de conclusão de curso. Para recebe-lo o aluno deve realizar um depósito de R$ 20,00 nome do Instituto para o Desenvolvimento da Economia, do Indivíduo, do Ambiente e da Sociedade, na C/C 47275-9, da agência 0269 do Banco Itaú. O dinheiro se refere aos custos de envio e de material para a criação do certificado. O comprovante de pagamento deve ser enviado por fax para o número 2522-2421.


Briga: Fábio Fernandez X Nizan Guanaes


Um carta de Fábio Fernandez da F/NAZCA SAATCHI & SAATCHI(agência responsável de contas como NIKE, Skol, Petrobras, Banco Real, Garoto, ESPN) está circulando pelas caixas de e-mails de várias agências de comunicação do país. A mensagem critica o profissional da publicidade, Nizan Guanaes, responsável pela propaganda de empresas como a VIVO, Vale, Philips, Brahma, Itaú e Mitsubishi. Veja um trecho da carta:


"Achei que devia escrever a vocês para falar sobre o Maximidia e o debate/embate que eu travei com o Nizan. Acho que não é novidade para os mais próximos e os nem tão próximos que tenho diferenças profundas, quase religiosas, na visão sobre o que é e o que deve ser o negócio, o objetivo do trabalho, a missão, os processos, a forma e o conteúdo do prodtuto final de uma agencia de propaganda, em relação ao dito personagem - pra mim, uma caricatura de ser-humano, dublê de político populista e novo-rico deslumbrado, comediante de frases de efeito repetidas à exaustão, arremedo de empresário anti-ético e criativo anti-estético.
Nunca escondi - nem dele - que o acho vil, pernicioso à nossa indústria, predador, oportunista, aproveitador, manipulador. Nunca deixei de observar e comentar que todo o tempo em que ele esteve criador, foi um tempo que ele utilizou apenas para forjar um personagem que, com tino e capacidade de observação, o levaria a ter seu próprio negócio, onde ele reproduziria não aquilo que ele almejou como empregado mas, ao contrário, os piores modelos, os piores ambientes internos, piores lugares comuns, entre todas as agencias em que ele trabalhou. Desde que isso, convenientemente, implicasse em fazê-lo mais forte, mais rico, mais poderoso. Nizan é um caso típico de uma pessoa que quanto mais tem mais quer. E que quanto mais quer menos mede esforços e as consequencias nefastas dos atos que ele pratica para ter mais. Ele é o exemplo pronto e acabado da insustentabilidade. Se fosse presidente dos EUA não seria em nada diferente de Bush - só o discurso seria mais engraçado. Mas invadiria o Iraque, deportaria estrangeiros, perseguiria minorias, poluiria a atmosfera, cagaria para o mundo. O que interessa para ele é ele. E por ele, acha ele, que pode, ele, tudo."

Jornalismo: Categoria anunciam greve na Espanha


Jornalistas e outros profissionais do jornal espanhol La Gaceta de Canarias, da cidade de Santa Cruz de Tenerife, decidiram em uma assembléia apresentar um aviso de greve contra ameaças de demissões e má gestão da empresa. Além de alguns profissionais não receberam há dois meses, a publicação corre o risco de ser fechada devido à má gestão do atual proprietário.


Na próxima semana, ocorrerá a primeira greve de 24 horas - que será repetida durante três dias na início de novembro. Há quinze dias a redação do jornal já fez um abaixo-assinado e paralisações diárias de dez minutos em uma tentativa de pressionar a empresa para apresentar soluções para a situação dos trabalhadores.


Em situação semelhante no Brasil, os jornalistas não se uniriam para conseguir o atendimento das suas reivindicações. Se para aprovar um Conselho Federal de Jornalismo houve muitas divisões, imagine para lutar por salários melhores e condições dignas de trabalho.


Fonte: Portal Imprensa

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Comentário do dia: Vida de Jornalista


O jornalista pode até não ganhar bem, mas conquista espaço de poder e trânsito social, muito mais que em outras atividades.


Numa sociedade em que a mídia dita regras, o jornalista é um personagem que fascina, chega a causar inveja e raiva, provoca projeções e identificações. O profissional dessa área às vezes é incompreendido, injustiçado e até perseguido por verdadeiros facínoras, quando não assassinado.


O jornalista pode até não ganhar bem, mas conquista espaço de poder e trânsito social, muito mais que em outras atividades.


Mas que tipo, de perfil a gente poderia traçar do jornalista?

Uma vez um jornalista experiente de São Paulo falando sobre o excelente Lucas Mendes (hoje apresentador do Manhattan Connection do GNT), que aliás tive a honra de encontrar no aeroporto Santos Dumont do Rio de Janeiro, disse o seguinte: "Um repórter deve ser inteligente, crítico, seguro e elegante". Há quem veja o jornalista apenas como um chato, um metido, um inconveniente e um pobretão deselegante. Cá com os meus botões, de jornalista profissional diplomado e há 28 anos na área, acho que a profissão é como as outras e deve ser técnica e eticamente bem realizada. Nada mais.


"O jornalismo pode ser uma ótima profissão desde que largada a tempo", disse o escritor e jornalista Ernest Hemingway, aquele de O Velho e o Mar. Há jornalistas que seguem essa frase ao pé da letra. Eu mesmo conheço um, que trocou as redações loucas pela casa. Deitado numa rede, ele passou a trabalhar um romance. "Não vou ficar mais em redações". Nelas bebe-se muito café, fuma-se demais, fala-se demais e o telefone não pára de tocar; é improdutivo e neurotizante. Não troco trabalhar em casa, na rede, de pijama, ouvindo música, por nada desse mundo. Para mim o importante é gostar do que se faz. "O trabalho é mais do que simplesmente ganhar a vida. Trata-se de construir a nossa vida. O que você tem de diferente, muitas vezes é também aquilo que você possui de valioso e raro", escreveu Marsha Sinetar.

J. R. Whitaker Penteado Filho completou: Quando se descobre o que se gosta realmente, a diferença artificial entre o trabalho e lazer passa a não ter mais significado".

E. B. Szekly, autor de Trabalho Criativo observou que "a maioria das pessoas trabalha para sobreviver, algumas trabalham para adquirir fama e riqueza". Na minha opinião até existem aqueles principalmente na imprensa que realizam um pseudotrabalho para estarem ao lado dos poderosos e de suas polpudas verbas. Quando isso não acontece ficam loucos de raiva. E disparam suas metralhadoras para todos os lados. Só uns poucos trabalham para expressar a verdade, dão voz ao povo e quer a participação desse mesmo povo no dia-a dia da notícia. É o trabalho realizado junto à comunidade (jornalismo de rua e não de redações).


É a notícia gerada pelo povo, para o povo e em benefício deste mesmo povo.

O jornalista deve ser ambicioso, ter idéias e não se deixar amedrontar por facínoras. Como você vê, caro leitor, ser um bom jornalista não é fácil, mas a tentativa vale a pena!


Paulo J. Rafael é jornalista.

Estudo: O perfil dos blogueiros


Uma pesquisa do professor de Comunicação Social e doutorando em semiótica, Fernando Moreno da Silva, traça o perfil do blogueiro brasileiro - tanto o escritor quanto o leitor de blog - a partir das páginas mais populares do país. Desenvolvido pela Universidade Estadual Paulista (UNESP/Araraquara-SP), o estudo trabalha, segundo Silva, "com a imagem construída através do texto. A escolha do que ele [blogueiro] lê é reflexo de seus interesses, valores e desejos".


O pesquisador considera que, apesar de a credibilidade e a confiabilidade dos blogs serem tênues, muitos deles "cumprem as funções do jornalismo de informação, orientação e prestação de serviços". Para Silva, "o blog dá espaço para o jornalismo cidadão, criado a partir do trabalho colaborativo".




Fonte Portal Imprensa

Atitude: Mãe de Eloá perdoa Lindemberg Alves


"Eu consigo perdoar o Lindemberg. Eu consigo perdoá-lo de todo o coração, mas que a justiça seja feita. A Eloá está feliz em um lugar melhor", esta é a afirmação de Ana Cristina Pimentel, mãe da adolescente Eloá Cristina Pimentel, quanto ao assassino Lindemberg Alves. A atitude pode soar inusitada para muitos. Afinal, alguém ter uma pessoa querida sequestrada e assassinada, logo em seguida, perdoar a pessoa do ato violento e fatal.

Segundo informações do portal Globo.com, Ana Cristina Pimentel é evangêlica. O cristianismo defende o amor fraterno e o perdão pra aqueles que magoaram. "Amai os vossos inimigos", disse Jesus Cristo. Isso explica esta atitude de Ana Cristina que já poderia se esperada.

Outro acontecimento semelhante, ocorreu quando o Papa João Paulo II visitou o homem que desferiu três tiros contra ele para mata-lo. João Paulo II conversou cara a cara com ele e perdoou a sua atitude. No mundo egoísta que vivemos, o perdão é notícia.

Estréia: Última Parada 174


O filme "Última Parada 174", de Bruno Barreto, foi exibido ontem dentro da Mostra Internacional de São Paulo. O roteiro é inspirado na história real de Sandro do Nascimento, o seqüestrador do ônibus da linha 174, no Rio, em 2000.

Depois de horas de negociação, Nascimento decidiu descer do ônibus usando uma refém como escudo e foi abordado por um policial, que disparou em sua direção, mas acabou acertando a garota. O filme entrará em circuito nacional a partir desta sexta-feira (24).

Coincidentemente, "Última Parada 174" chega em meio a comoção com o caso do sequestro de Santo André que também terminou em tragédia.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Comentário do dia: A novela da vida real


Nos tempos atuais, a notícia é o espetáculo. É impressionante como os telejornais insistem no formato de transformar fatos do cotidiano em cenas de uma novela da vida real. O caso do sequestro de Santo André ganhou repercussão e comoção nacional assim como o assassinato de Isabela Nardoni. O crime motivado por uma questão amorosa entre dois jovens chamou atenção pelo descontrole de um reú primário e uma polícia de atitudes equivocadas.


Aperitivos suficientes para montar mais um show de transmissão ao vivo das grandes redes de televisão do país. Câmeras por todos os lados para mostrar o melhor ângulo. Adrenalina e emoção pra render mais de uma semana de cobertura exclusiva. Os telespectadores acompanharam a invasão da polícia no apartamento das reféns nos detalhes possíveis de ser mostrados.


Hoje pela manhã, os comentários nas praças, no ônibus, no trabalho e em casa, era um só: a morte de Eloá, a culpa de Lindemberg(foto) e o desastre da polícia. Final da novela e ficam os comentários.


Televisão: Contra a baixaria na TV


As comissões de Direitos Humanos e Minorias, a Legislação Participativa e mais de 60 entidades, promovem a campanha "Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania", na 5ª edição do Dia Nacional contra a Baixaria na TV.


A campanha visa estimular a participação dos cidadãos por uma televisão de qualidade, mais comprometida com a ética e com a diversidade, além de alertar a sociedade a respeito dos males que podem ser causados pela publicidade dirigida às crianças e adolescentes.


No último levantamento, realizado entre os meses de maio e setembro deste ano, o Ranking da Baixaria na TV - divulgado regularmente pela campanha - apontou como líder em denúncias, com 80% das reclamações, o programa "Terceiro Tempo"(foto), da Rede Bandeirantes, com 1.200 queixas de telespectadores de um total de 1.500 atendimentos.


Fonte: Portal Imprensa

E-mail: A mentalidade conspiratória no Brasil recente


Recebi um e-mail do professor Comunicação Social, Ricardo Silveira, indicando um artigo do jornalista Eugênio Bucci publicado no site do Observatório da Imprensa. Veja alguns trechos do artigo:


Não está no aparelhamento a solução para equilibrar o noticiário – a solução para isso reside na abertura do debate público, na diversidade de opiniões, na pluralidade de meios, fenômenos que se dão no âmbito da sociedade, jamais do Estado. A solução está na qualidade, na objetividade e no equilíbrio editorial de cada emissora. Os que não percebem isso embarcam em uma postura de proselitismo e de propaganda, transformando emissoras públicas em palanques governistas. Com isso, abandonam o dever de informar o cidadão e se entregam à servidão de agradar os governantes – não por acaso, um mal crônico da comunicação pública brasileira. Traem o público. E, pior, não chegam a lugar algum que não seja a sua própria ruína ética.


Mudança: Já começou o horário de verão


Para quem mora no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal, o relógio foi adiantado em uma hora desde a zero hora de ontem.


No Rio Grande do Norte, até 15 de fevereiro de 2009, quando termina o horário de verão, o funcionamento dos bancos terá horário de atendimento diferenciado. As agências bancárias vão funcionar das 10h às 15h. Em outros setores, como os Correios e o de transportes rodoviários, o funcionamento será baseado no horário local.

Esporte: Não tem nada definido!


Esta frase alimenta a esperança de muitos brasileiros na Fórmula 1 e no Campeonato Brasileiro. Depois da vitória de Lewis Hamilton no GP da China, Felipe Massa precisa chegar no mínimo em segundo lugar em Interlagos, além de torcer contra o inglês da McLaren. Caso chegue em segundo no Brasil, a única chance de Massa é torcer para Hamilton ficar no máximo em oitavo. Vale lembrar que a situação de pontos é semelhante a disputa do ano passado entre Hamilton, Haikonnen e Alonso. E todos lembram o que aconteceu....


No campeonato brasileiro, cinco times disputam o título brasileiro sem favoritismo de nenhum deles. Grêmio, Cruzeiro, Palmeiras, São Paulo e Flamengo, travam a competição de pontos corridos mais disputada desde que a modalidade foi inaugurada. O fator que pode fazer a diferença nas próximas rodadas: confronto direto. Mesmo assim, não há favoritos pois o futebol é uma caixa de surpresas. Não tem nada definido!

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Comentário do dia: Visual novo para atrair leitores


Antes de mais nada, quero comunicar aos nossos leitores que estamos de volta para o batente. Caros amigos, estive um longo período sem postar no blogue por motivos de manutenção e planejamento de um novo layout que vai nos acompanhar por mais um ano. Recebi várias críticas de como trabalhar melhor o conteúdo do nosso blogue e creio tê-las atendido. O novo formato de nossas postagens apresentam textos mais curtos e de fácil leitura.

Continuaremos com a linha editorial do nosso blogue Comunicação e Cidadania voltada para assuntos da área da comunicação social e fatos do cotidiano. Abordaremos notícias da cidade de Mossoró e do estado do Rio Grande do Norte.

Em algumas postagens, estarei lançando algumas discussões sobre os Blogues que estarão no meu livro sobre o assunto. Estamos preparando alguns artigos científicos para serem publicados em breve e que antecederam o livro.

Pra ilustrar este momento, em nosso blogue, escolhi a bela imagem do pôr do sol. Revigorante. Quero convidá-lo a visitar este blogue diariamente, ler as postagens e participar das discussões.

Boa Leitura


Cine Clube Mossoró: Filhos do Paraíso


É com muito prazer que divulgo mais uma iniciativa do Cine Clube Mossoró. Em cartaz, Filhos do Paraíso, sob a direção e roteiro de Majid Majidi e a distribuição Buena Vista International / Miramax Films.


O filme é uma obra prima do cinema iraniano que retrata com simplicidade a solidariedade entre os irmãos Ali e Zahra que precisam dividir o tênis de escola porque a sandália da irmã fora perdida por Ali (repare no desespero do menino ao se ver diante de tão insanável problema necessitando da cumplicidade e abnegação da irmã já que os pais nada podem saber a respeito).


A família humilde está à parte dos problemas das crianças e o pacto entre os irmãos tem como testemunhas apenas os peixes ornamentais do chafariz.


Confira neste sábado, ás 19h, no Hotel VillaOeste, em Mossoró-RN. A entrada é franca.

Esporte: Dunga será demitido pela CBF


Li o blogue do Téo josé, no portal Uol, e percebi rumores da saída de Dunga da seleção:

Dunga indo

Ontem, o empate entre Brasil e Colômbia pode ter sido a última partida oficial do Dunga como treinador da seleção. Tudo está caminhando para sua despedida no amistoso contra Portugal - mês que vem. Já existe gente dentro da CBF montando a nova comissão técnica e, até, profissionais sendo contratados. Vamos aguardar.

Vamos interagir, responda a enquete do nosso blogue: Quem poderia ser o novo técnico da seleção no caso da saída de Dunga?

Participe!

Veja o blogue do Téo José

Mico da semana: Advogado defende sequestrador


Todos devem lembrar do caso Isabela Nardoni em que os advogados de Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá afirmavam a inocência do casal de pé junto. Defenderam e ainda sustentam a posição, mesmo as provas do crime apontando para o contrário. Afinal, estão sendo pagos para provar que os acusados são inocentes.


Esta semana, o Brasil acompanha o sequestro de uma adolescente de 15 anos mantida refém pelo seu ex-namorado, Lindemberg Alves, 22, em Santo André. O advogado de Lindemberg, Eduardo Lopes, considerou nesta sexta-feira (17) o seqüestro de mais de 90 horas como uma "prova de amor". Para completar o mico...... "A única exigência dele é ficar ao lado da mulher amada", afirmou Lopes.
Foto: Lindemberg Alves ao lado do irmão da ex-namorada.

Jornal O Mossoroense faz 136 anos de história


Aproveito esta postagem para mencionar o aniversário de 136 anos do jornal O Mossoroense(Mossoró-RN). A publicação diária potiguar é um dos quatro mais antigos jornais do País e o mais antigo do Rio Grande do Norte em circulação.

O Mossoroense encontra-se em sua 5ª fase, desde a fundação em 17 de outubro de 1872, por Jeremias da Rocha Nogueira, quando se chamava apenas Mossoroense e se dispunha a defender os interesses do Partido Liberal.

O jornal de Jeremias, semanário de quatro páginas, nasceu no fim do primeiro período do jornalismo brasileiro, que se estendeu de 1808, com o surgimento da Gazeta do Rio de Janeiro, pertencente ao governo monárquico, e do Correio Braziliense ou Armazém Literário, de Hipólito da Costa, até o ano de 1880. Na foto, destacamos a capa da edição de hoje do jornal O Mossoroense.

Dica de Leitura: O Monge e o Executivo


Este livro é uma ótima opção de leitura para o fim de semana. Discute a essência da liderança e demonstra caminhos importantes para ser líder de si mesmo e também liderar grupos. Com uma narrativa envolvente, O Monge e o Executivo conta a história de John Daily, um homem de negócios bem-sucedido que percebe, de repente, que está fracassando como chefe, marido e pai.


Numa tentativa desesperada de retomar o controle da situação, ele decide participar de um retiro sobre liderança num mosteiro beneditino, comandado pelo frade Leonard Hoffman, um influente empresário americano que abandonou tudo em busca de um novo sentido para a sua vida.


Através da história desses personagens fascinantes, James C. Hunter apresenta conceitos fundamentais para melhorar nossa capacidade de liderança e o convívio com os outros, ajudando assim a nos tornarmos pessoas melhores e abrindo caminho para o sucesso duradouro.

Saiba mais

Comunicado Importante


Atenção!! Leitores!


Peço desculpas pelo enorme tempo de paralização das atividades do nosso Blogue Comunicação e Cidadania. Devido a problemas técnicos, não foi possível postar recentemente. Voltaremos hoje com atualizações diárias. Muitas novidades !


Aguardem!

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Jornais gratuitos criam federação internacional e publicam manifesto


Entre os dias 29/09 e 02/10, representantes de veículos gratuitos de mais de 20 países se reuniram em Madri, na Espanha, no primeiro Congresso Mundial de Imprensa e Publicações Gratuitas. Como resultado do evento, foi criada a Federação Internacional de Imprensa Gratuita e o “Manifesto de Madri” foi apresentado.


O jornal Destak, que circula em São Paulo e no Rio de Janeiro, foi o representante brasileiro na reunião. De acordo com o diretor-editorial do jornal, Fábio Santos, o manifesto e a criação da Federação representam mais um passo na consolidação do segmento em âmbito mundial.
“O manifesto é uma reafirmação da importância da imprensa gratuita. Ela já tem tamanho, mas ainda é muito recente”, avalia.


Um dos pontos do documento pede que os governos tratem a imprensa gratuita “com eqüidade tanto no acesso às informações de interesse público quanto na divisão de publicidade institucional”.


“Nós já somos percebidos pelos leitores, pelo mercado publicitário, mas o setor público ainda não”, diz Santos.


O jornal Destak tem uma circulação de segunda a sexta-feira de 150 mil exemplares em São Paulo e 80 mil no Rio de Janeiro. De acordo com Santos, a receita publicitária apresenta crescimento em todos os meses desde o lançamento do veículo, em julho de 2006.

Leia o manifesto:

1. A imprensa gratuita e suas publicações constituem um dos fenômenos mais relevantes do campo das comunicações e do jornalismo nos últimos anos.

2. A imprensa gratuita e suas publicações fomentam a leitura e permitem um melhor e maior acesso dos cidadãos à informação, à cultura, à participação social e aos hábitos democráticos.

3. A imprensa gratuita e suas publicações desempenham um importante papel social, ajudando a criar um tecido cívico e a fomentar a coesão nas comunidades de leitores a que se dirigem.

4. A imprensa gratuita e suas publicações promovem um reforço do direito à liberdade de expressão e, de resto, de todas as liberdade públicas nas sociedades democráticas.

5. A imprensa gratuita e suas publicações, que são elaboradas com os melhores critérios de qualidade, têm promovido uma inovação no exercício do jornalismo, e os profissionais que as produzem o fazem com critérios de igual qualidade, máximo rigor, ético e independência.

6. A imprensa gratuita e suas publicações são agentes benéficos para o conjunto da economia, já que geram emprego, riqueza, fomentam a competitividade e representam um freio à alta dos preços.

7. A imprensa gratuita e suas publicações oferecem aos anunciantes maneiras inovadoras e mais eficazes de tornar seus produtos e serviços conhecidos pelos cidadãos.

8. A imprensa gratuita e suas publicações instam as instituições públicas a tratá-la com eqüidade tanto no acesso às informações de interesse público quanto na divisão de publicidade institucional.

9. A imprensa gratuita e suas publicações criam novos leitores, contribuindo assim para o desenvolvimento e para o futuro do conjunto dos meios de comunicação.
Fonte: Portal Comunique-se

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Internet: Dr Morte está na web


Philip Nitschke, ativista australiano favorável ao direito da eutanásia, mais conhecido como "Dr. Morte", publicou na internet o livro "Manual Eletrônico sobre a Pílula Pacífica", que dá instruções de como se matar sem sentir dor, informou a agência de notícias Efe.


A publicação eletrônica, censurada na Austrália, é, segundo o autor, uma compilação dos métodos mais seguros e pacíficos que podem ser utilizados para cometer um suicídio pacífico, de acordo com a agência australiana AAP.

Publicado há 18 meses nos Estados Unidos, o manual está sendo divulgado de Londres pela internet para burlar as leis australianas. Em janeiro, o ativista foi detido na Nova Zelândia por levar cópias de seu livro, também censurado ali.

Televisão: Record x Globo


Foi dada a largada para mais um round entre as emissoras. A Rede Record anunciou que entrará com uma ação no Conar (Conselho Nacional de Auto-regulamentação Publicitária) contra a Rede Globo, por causa de uma série de peças publicitárias que a emissora carioca colocou no mercado, em jornais e revistas, desde a semana passada, que a anunciam como líder em algumas atrações da casa como a novela "A Favorita", o seriado "A Grande Família" e o "Jornal Nacional".


A emissora paulistana vai usar como base para a ação o mesmo argumento que a Globo usou em abril do ano passado, quando questionou peças igualmente festivas da Record sobre seu próprio ibope. A uso da palavra "liderança" foi a base daquela ação da Globo contra a Record e agora será novamente.


Fonte: Portal Imprensa

Economia: Jovens Desempregados


Uma pesquisa do IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) revela que os jovens representam 63% do total de desempregados do país. Um das explicações apontadas pelo diretor de estudos sociais do Instituto, Jorge Abraão, para os indicadores: A rotatividade do jovem é maior, os custos para demiti-lo são baixos para a empresa. E ele é um ser mutante, que está experimentando e ainda não sabe bem o que fazer", afirma Abraão.
Muitos jovens ingressam no mercado de trabalho sem direção para suas carreiras profissionais pela falta de orientação vocacional. Este trabalho poderia ser desenvolvido pelas escolas na fase da vida em que o estudante precisa saber que faculdade quer cursar ou ramo profissional. Antes disso, deveria mesmo oferecer educação de qualidade e torna-lo competente para disputar por vagas de emprego.

Segundo o IPEA, cerca de 90% dos analfabetos tem 25 anos ou mais. Na zona rural, quase 25% das pessoas não sabem ler - na zona urbana são apenas 4,4%. E a concentração de analfabetos entre os negros (14,1%) é mais que o dobro da concentração entre os brancos (6,1%). Comentem o assunto.

quinta-feira, 31 de julho de 2008

História de Chapeuzinho Vermelho na Imprensa


A primeira postagem de hoje traz a História de Chapeuzinho Vermelho na Imprensa. São diferentes maneiras de contar a mesma história. Leia:


*JORNAL NACIONAL*

(William Bonner): 'Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem...'. (Fátima Bernardes): '... Mas a atuação de um caçador evitou uma tragédia'.


*FANTÁSTICO*

(Patrícia Poeta): '... Que gracinha, gente. Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?'


*CIDADE ALERTA*

(Datena): '... Onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê as autoridades?! A menina ia para a casa da avozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva....Um lobo, um lobo safado. Põe na tela!! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não.'
*REVISTA VEJA* 'Lula sabia das intenções do lobo'.


*REVISTA CLÁUDIA*

'Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho'.


*REVISTA NOVA*

'Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama'.


*REVISTA MARIE-CLAIRE*

'Na cama com o lobo e a vovó'.


*FOLHA DE S.PAULO*

Legenda da foto: 'Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador'. Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.


*O ESTADO DE S.PAULO*

'Lobo que devorou Chapeuzinho seria filiado ao PT.'


*REVISTA CARAS *

(Ensaio fotográfico com Chapeuzinho na semana seguinte) Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: 'Até ser devorada, eu não dava valor para muitas coisas da vida. Hoje sou outra pessoa'.


*PLAYBOY*

(Ensaio fotográfico no mês seguinte) 'Veja o que só o lobo viu'.


*REVISTA ISTO É*

'Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.'


*G MAGAZINE*

(Ensaio fotográfico com lenhador) 'Lenhador mostra o machado'

Publicitários x Regulamentação da Publicidade


Recebi este e-mail do professor Ricardo Silveira e estou postando em nosso blogue para uma boa reflexão sobre a questão da regulamentação da publicidade.


Leiam.


Ivana Bentes


Custou, mas apareceu, o "manifesto" dos Publicitários, se dizendo ameaçados pela tentativa de regulamentação da publicidade por parte dos órgãos de defesa do consumidor e da saúde pública. A retórica e estratégia são conhecidas: qualquer tentativa do Estado de regular a mídia, seja a faixa etária indicativa de programas na TV, seja a veiculação de publicidade de cigarros, bebida alcoólica, gordura trans ou uma cota de filmes brasileiros na TV, qualquer movimento social que ameace os lucros exorbitantes da publicidade e a liberdade de empresa, são considerados "censura" e "ataque a liberdadede expressão".


Em nova embalagem, a velha retórica. De forma grosseira, as emissoras de TV já tinham veiculado anúncio dizendo que o governo queria "tirar o direito do telespectador de escolher seus programas", diante da proposta em votação no Congresso de uma cota para conteúdo brasileiro nas TVs a cabo. Como se os pacotes com enlatados e programas comprados pelas emissoras tivessem algum grau de "escolha" e participação do espectador, obrigado ainda a levar no pacotão que compra uma porcentagem de lixo cultural adicional.


Mas o manifesto dos publicitários vai mais longe. Faz uma inversão ainda mais espetacular ao esvaziar totalmente o lugar de poder que está nas mãos (o zapping é um deles) da audiência e do público. O verdadeiro "produto" que é "vendido" para os anunciantes a peso de ouro e que sequer é mencionado no texto.O manifesto tenta nos convencer do contrário.



Não, não é a audiência eo espectador, o público, e a sociedade, nós, que sustentamos o mercado e a mídia e sim "a publicidade" em si. São eles, os mediadores, ospublicitários, diz o manifesto, os verdadeiros protagonistas dessa história.Transformados em arautos da democracia e da "livre expressão", os publicitários defendem no seu manifesto que "é a publicidade que viabiliza do ponto de vista financeiro a liberdade de imprensa e a difusão de cultura e entretenimento para toda a população. É a publicidade que torna possível a existência de milhares de jornais, revistas, emissoras de rádio e televisão, assim como de outras expressões da mídia."


(!!!)Ou seja, para os publicitários estamos num cenário em que os mediadores são os protagonistas todo-poderosos da sociedade! Para eles, é a publicidade o esteio da democracia e não o contrário, a radicalização da democracia que vai democratizar inclusive a publicidade corporativa! Que vende quase qualquer coisa, que cria necessidades, fidelidades, hábitos e valores, estilos mais ou menos predadores...


É essa publicidade que quer se "auto-regulamentar" ?Os publicitários escamoteiam que é o espectador, a audiência, opúblico, a sociedade que produz valor simbólico e real, conteúdos, opiniões, produtos, mídia, inclusive de graça e de forma colaborativa, hoje, com as novas formas de produção e difusão da cultura livre pós-internet, produtos que podem ser acessados diretamente, sem a mediação da publicidade tradicional, inclusive!O manifesto dos publicitários não discute o que poderia ser uma publicidade democrática ou com objetivos "públicos" e não simples mente predadora ou visando o lucro imediato.


Também sequer cogitam a emergência de uma série de movimentos e ativistas que batalham no campo do consumo. Exigindo rótulos explicativos e indicativos dos venenos que ingerimos e que a publicidade vende sob um lindo design e letras miúdas.


Movimentos que exigem saber a origem da mão de obra de certos produtos, a forma de produção, a origem natural ou modificada, transgênica ou não, com ou sem agrotóxicos, etc. Ou seja, a liberdadede sabermos o que afinal ingerimos, calçamos, vestimos, lemos, vemos, consumimos.



Movimentos que mostram que o preço embutido da publicidade encarece os produtos de forma exorbitante! O que também não é dito no manifesto, ou seja, que somos nós que pagamos a própria publicidade que consumimos. Incutindo o medo. Com décadas de atraso em relação a outros países, e apesar do lobby poderoso, a propaganda de cigarros foi proibida na mídia brasileira. O que não levou a falência nem as emissoras de TV e jornais nem as fábricas de cigarros (que passaram a apoiar Festivas de música e produtos culturais).


O fim da propaganda de cigarro também não levou a uma diminuição da"liberdade de expressão" de ninguém, quem quer fuma, mas diminuiu-se sim os riscos de câncer de pulmão em nível planetário. Agora a batalha é proibir a publicidade de bebidas alcoólicas, sendo oalcoolismo uma epidemia no Brasil de ricos e pobres. Ninguém deixará de tomar sua cerveja, cachaça, vinho, whisky, o que for, mas sem dúvida o consumo será balizado por outras forças que não simplesmenteo bombardeamento diário da publicidade ostensiva e reiterativa.


Ao neutralizarem a força do consumidor e se colocarem na "origem" da liberdade de expressão e como fonte primordial de sustentação da mídia democrática, os publicitários fazem uma peça de marketing ruim e corporativa, distorcida. Esquecem, que o telespectador e a audiência, o público, o"prossumidor" (o consumidor que se tornou produtor e publicista) está mobilizado e é a nova forca de transformação no capitalismo midiático e imaterial.


A Mídia somos nós, a liberdade de expressão não tem nada a ver compropaganda de cerveja ou de gordura trans! Mesmo parados diante da TVestamos trabalhando para a audiência. O poder de consumo, de produção,criação e difusão está em toda a sociedade. É a sociedade que deve seremponderada! Ao invés da defesa incondicional da "perenidade" domercado publicitário, principalmente num capitalismo da abundância eda emergência da economia da gratuidade.O estágio atual é de politização do consumo! Não precisamos demanifesto de publicitários defendendo sua corporação e propondo"adequar" os Cursos de Comunicação as suas exigências, adestrando osjovens a um complexo industrial/publicitá rio em crise.


Quandoprecisamos de uma nova publicidade, de democratização, colaborativa efeita pelo próprio consumidor.O que falta são mais movimentos de consumidores, de telespectadoresque pudessem exigir, opinar, protestar e pressionar os fabricantes deprodutos e os publicitários. Algo que o anonimato e a impessoalidadeda audiência não estimulam.Como dar credibilidade a um manifesto que apaga o consumidor comofonte de poder e valor e colocar no seu lugar...os publicitários, ouque demoniza o Estado que quer regular e restringir certaspropagandas?


O Manifesto dos Publicitários se torna uma jogada de marketing ruim, pois:a.. Para os publicitários, não existe comunicação sem publicidade!.. Para os publicitários, a proibição de anunciar bebida alcoólica vai levar a mídia a falência!c.. Para os publicitários, sem a publicidade não existe "liberdade deexpressão"!.. Para os publicitários, para não "desaquecer" o mercado não se podeintervir nem restringir certos anúncios, como o de "bebidasalcoólicas, remédios, alimentos, refrigerantes, automóveis, produtospara crianças, entre outras".


Seria o equivalente a dizer que para não "desaquecer" o mercado de drogas não se pode intervir no sistema de venda, de tráfico de armas ede corrupção existente. Pois esse é um mercado aquecidíssimo e que movimenta zilhões, sem publicidade!"Seria demais pedir a um anunciante que proponha o desestímulo aoconsumo", nas palavras de Gilberto Leifert, presidente do Conar, aovender o texto, ou melhor, a publicidade dos publicitários.


Perfeito, é essa a lógica do Manifesto!"O objetivo central é sempre o fortalecimento da indústria dacomunicação", completa o texto, ou seja, a manutenção de um mercadopublicitário "perene" a qualquer custo. A mesma lógica"desenvolvimentista " que ainda é dominante na política, apesar deultrapassada e discutível.Os publicitários querem criar uma confusão entre as liberdadesindividuais, o "risco escolhido" (consumir, viver e morrer, ter prazerfumando cigarro, ingerindo gordura trans, bebendo ou usando drogasleves e pesadas, por vontade própria), a "liberdade de expressão" (quetem a ver com a possibilidade da pluralidade e da autonomia) ecapturam a defesa legítima dessas liberdades para a sua defesa de"liberdade comercial", mesmo que essa liberdade das empresas afronte asaúde pública e a construção do comum.


É muito preocupante que os publicitários transformem a Anvisa (AgênciaNacional de Vigilância Sanitária) e o Congresso em inimigos públicosnúmero um dos publicitários! Ou seja, o que está sendo descartado sãoas questões de saúde pública! E a construção do interesse "comum".Estranhamente os publicitários não falam em democratizar as verbaspúblicas destinadas as suas empresas e que são repartidas entre unspoucos veículos de comunicação. Essa repartição pouco democrática dobolo nem sequer é mencionada. Ou seja, o Estado só incomoda quandoquer regular para todos, não quando privilegia poucos.


O manifesto dos publicitários que ganhou ampla repercussão na própria TV, em horário nobre, teve dois garotos propaganda de peso, um Civitae um Marinho, donos de corporações de mídia e TV, com seus ternos cinzas, voz monocórdia e rosto descansado, adentraram a nossa casa, pela concessão pública que lhes demos, para fazer a sua própria publicidade e anunciar essa estranha contrafação. (IB)


Leia mais