segunda-feira, 6 de abril de 2009

Navegar parte do dia de trabalho aumenta a produtividade


O que parecia impossível começa a ser considerado razoável: profissionais que reservam parte do tempo de trabalho no escritório para navegar, por diversão, na internet, conseguem maior concentração e produzem mais do que aqueles que se dedicam apenas às tarefas. A conclusão é possível após a divulgação de um estudo da Universidade de Melbourne, na Austrália.
“As pessoas que navegam por diversão na internet, por um período razoável de cerca de 20% de sua jornada de trabalho, são 9% mais produtivas do que as que não navegam”, explica Brent Coker, em comunicado no site da instituição. O professor trabalha no Departamento de Administração e Marketing e coordenou o estudo, que ouviu 300 pessoas.
“As pessoas precisam de uma pausa de vez em quando para se concentrarem novamente. É como a época em que estávamos em uma sala de aula. Após 20 minutos de leitura, provavelmente, a pessoa perde a concentração. Mas se tiver uma pausa, a concentração retorna”, comenta.
Buscar informações sobre produtos, ler os sites de notícias, gastar parte do tempo com jogos e ver vídeos no YouTube estão entre as ‘distrações’ mais procuradas por esse grupo de ‘usuários mais produtivos’.
“As empresas gastam milhões em softwares para bloquear o acesso a vídeos, a compras on-line ou a comunidades virtuais, como o Facebook, como se isso fosse acabar com perdas de milhões em produtividade. Mas não é o caso”, afirma Coker, que, no entanto, faz um alerta: existe um grupo de profissionais que navegam muito mais do que o aceitável em locais de trabalho.
“Aproximadamente 14% dos usuários de internet na Austrália são ‘viciados’, pois navegam em horários não apropriados, despendem mais tempo navegando do que é considerado razoável e sentem-se irritados quando são interrompidos”, pondera.


Fonte: Portal Nós da Comunicação
Postar um comentário