sábado, 29 de setembro de 2007

Primeiro dia de um Potiguar na capital Cearense.

O meu primeiro dia em Fortaleza, foi cheio de muitos desencontros e trapalhadas. Saí de Mossoró muito cedo para chegar em Fortaleza. Durante a viagem conheci um italiana que veio de férias para Fortaleza e gostou tanto da cidade, que resolveu morar. A mulher tinha quase 40 anos e já tinha filhos casados e dois netos. A mulher era de um bom papo e sempre sorridente. Dizia assim: "Você vai adorar Fortaleza" Ao desembarcar na capital cearense, fui para o flat em que estou morando para acertar questões contratuais. Enquanto resolvia a papelada, o motorista tirava do carro as minhas malas. Logo depois, paguei ao motorista e subi para o flat. Quando fui abrir as malas verifiquei que não era as minhas. Aí começou um desespero só, o motorista trocou minhas malas. E agora? Liguei pro dito cujo. Daí pedi que trouxesse minhas malas, e lel respondeu: "Olha amigo, não vai dar naum. Eu to quase saindo de Fortaleza e naum volto naum." Mas eu insisti muito e ele continuava se negando. Até que com muita insistência ele disse que vinha. Passei duas horas, esperando pela destroca das malas e ele chegou e disse: "Amigo é o seguinte, você quer as malas? Então vai ter que me pagar dez reais para eu entregar. Se naum pagar, eu naum entrego." Não tive outra alternativa. Paguei os dez e reais e destroquei as malas.
Depois do banho, me arrumei, almoçei e fui para o trabalho. Chegando no local, conheci muita gente boa. LEGAL MESMO. Mas a tarde tava só começando. Fui comprar um cartão para inserir créditos no meu telefone. E aí, fui raspar a área indicada para ver os números. Advinha? O cartão veio com o defeito, faltava os dois últimos números. Fui reclamar a quem comprei, mas a mulher da banca de revistas disse: Não tenho nada ver, ligue para a operadora. Me desesperei. Liguei para a operadora e contei o problema. Aí, o carinha da operadora, respondeu assim: "Senhor, infelizmente não poderei ajudá-lo. Mas se quiser envie o número do código de barra via fax e tentaremos resolver o problema daqui para amanhã" Como? Amanhã? Não dá? Eu preciso dos créditos pra hoje! Daí pensei, vou tentar vários números até achar o correto. E não é que consegui. UFA! que alívio ..... achei que este seria o último problema. Mas teve o do ônibus. Peguei o ônibus e passei duas vezes pelo meu ponto de parada. Fiquei zonzo. Marinheiro de primeira viagem na cidade grande. Horrível....... Bem pessoal, esta foi a minha história, você interagir deixando seu comentário ou contando a sua experiência em uma grande capital ou até mesmo da primeiras trapalhadas fora da sua terra querida. Volto somente na segunda, com mais comentários e notícias pra vocês. Um abraço e bom fim de semana.
Postar um comentário