quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Comentário do dia: Atrasado, mas vale. Parabéns Jornalistas.


Ontem, foi o dia do jornalista e estamos parabenizando hoje, pois tivemos problemas técnicos na configuração da rede de computadores. A comemoração dos 200 anos da imprensa brasileira, neste ano de 2008, pode ser considerada uma forma a mais para lembrar nesta data.


Afinal, se a imprensa no Brasil chegou até o país com qualidade e retidão, desde 1º de junho de 1808, quando começou a circular o Correio Braziliense, editado em Londres por Hipólito José da Costa, é devido ao trabalho e dedicação de todos os jornalistas, profissionais empenhados em transmitir ao público informações de qualidade.


A data desta terça-feira, 29 de janeiro, é mais citada nos calendários comemorativos brasileiros como a do "Dia do Jornalista". Entretanto, poucas são as referências à sua criação. Algumas informações levam à data de falecimento do jornalista e abolicionista José do Patrocínio, em 1905. O "Dia do Jornalista" seria, então, uma homenagem a ele.


Outras referências remetem 29 de janeiro a um dia exclusivamente católico. Discordâncias à parte, o "Dia do Jornalista" também é aplaudido por alguns no dia 24 de janeiro, dia de São Francisco Sales (bispo e doutor da Igreja Católica), padroeiro da profissão.


Já a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) comemora o "Dia do Jornalista" em 7 de abril, homenageando Líbero Badaró, médico e jornalista. Assassinado por inimigos políticos em São Paulo, em 22 de novembro de 1830, sua morte gerou um movimento popular, que culminou na abdicação de D. Pedro I no dia 7 de abril de 1831.


O "Dia Mundial da Liberdade da Imprensa" foi escolhido para ser comemorado no dia 3 de maio pela Organização das Nações Unidas, que reconhece o "direito à vida, à liberdade, à integridade e à segurança, assim como o direito à liberdade de expressão direitos humanos fundamentais reconhecidos e garantidos pelas convenções e instrumentos internacionais".


Já o "Dia Mundial do Jornalista", levando em conta a quantidade de pessoas que o comemoram, deveria ser 8 de novembro, data oficial da China. Por enquanto, pelo menos os 1,3 bilhões de chineses e todo o resto do mundo não têm motivo para celebrá-lo: em 1º de janeiro deste ano, um relatório do Foreign Correspondents Club of China (FCCC) divulgou que muitos profissionais da imprensa continuam sofrendo ataques e ameaças no país asiático, apesar da vigência da nova lei chinesa para jornalistas estrangeiros.


A lei, que entrou em vigor no dia 1º de janeiro de 2007, tornou desnecessário o pedido de permissão às autoridades chinesas para entrevistar qualquer cidadão ou trabalhar em cidades diferentes à de residência do correspondente. No entanto, a norma, válida até o fim dos Jogos Paraolímpicos, em outubro deste ano, não é conhecida por muitos dirigentes locais de províncias ou é descaradamente descumprida, havendo repetidas violações em certas regiões, com casos até de jornalistas agredidos ou ameaçados.


Com informações do Portal Imprensa.
Postar um comentário