sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Papa Bento XVI pede informação ética aos meios de comunicação


Em seu tradicional discurso por ocasião da Jornada Mundial das Comunicações, nesta quinta-feira (24), o Papa Bento XVI fez duras críticas à imprensa que, segundo ele, impõe "modelos distorcidos", emprega "publicidade obsessiva e "recorre à transgressão, vulgaridade e violência" para capturar o público.


Além disso, o chefe da Igreja Católica pediu aos responsáveis pelos meios de comunicação que desenvolvessem uma "informação ética" na hora de veicular as notícias."É preciso evitar que os meios se convertam num megafone do materialismo econômico e do relativismo ético, verdadeiras pragas de nosso tempo". "Mais de uma pessoa acha que é necessário uma espécie de 'info-ética', assim como existe a bioética no campo da medicina e da investigação científica sobre a vida", enfatizou.


Entretanto, apesar de lembrar a comunicação "utilizada para fins ideológicos ou para a venda de bens de consumo mediante à publicidade", o Pontífice mencionou a contribuição que a imprensa fez à alfabetização e à socialização, como também para o desenvolvimento da democracia e do diálogo entre os povos.


"A humanidade se encontra hoje ante uma encruzilhada. Também para a mídia, é válido o que escrevi na Encíclica 'Spe salvi' sobre a ambigüidade do progresso, que oferece possibilidades inéditas para o bem, mas abre, ao mesmo tempo, enormes possibilidades de mal que antes não existiam", finalizou.


Fonte: Portal Imprensa
Postar um comentário